Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia

Quatro pessoas foram mortas e carbonizadas por disputa de terra no sudeste paraense

Dois homens estão presos pelos homicídios e um terceiro morreu em troca de tiros com policiais

Disputa por terra foi a motivação para o assassinato de quatro pessoas, cujos corpos foram carbonizados, na área rural de Santa Maria das Barreiras, sudeste paraense, no início da semana. O caso ganhou repercussão estadual e nacional na manhã desta quarta-feira e duas pessoas já presas confessaram o crime, segundo o superintendente do Araguaia Paraense, delegado Antônio Miranda.

Além dos presos Antônio Junior Soares, 19 anos, e Hélio da Silva Gama, 38 anos, um terceiro homem, Antônio Alves Campos, morreu após trocar tiros com policiais. Um quarto suspeito chegou a ser encaminhado para a Delegacia de Santana do Araguaia, sendo ouvido e dispensado em seguida. A ação policial aconteceu na terça-feira (2).

Uma caminhonete destruída pelo fogo foi encontrada na segunda-feira (1º) com os restos mortais das quatro vítimas em uma área de assentamento da Fazenda Cristalino, no Distrito de Casa de Tábua. As vítimas seriam o cabo reformado da Polícia Militar Ademir Sousa Costa, o filho dele Wesley Paulino da Costa e os amigos Antônio Fredson Sobral Oliveira e Artur Marques Moraes, mas apenas exames de DNA poderão confirmar a informação.

Segundo a Superintendência da Polícia Civil na região do Araguaia Paraense, as vítimas trabalhavam para posseiros e foram ao local para expulsar outros posseiros. A área é alvo de disputa envolvendo trabalhadores rurais. Foram apreendidas duas armas de fogo que podem ter sido usadas nos homicídios.

O veículo com os corpos foi encontrado na tarde de segunda-feira (1º), na área da fazenda. O exame dos corpos e a coleta de material para DNA foram realizados pelo Instituto Médico Legal de Marabá nesta quarta.

Deixe uma resposta