Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
saúde

Saúde de Jacundá está doente, reconhecem gestores

Das seis ambulâncias disponíveis em Jacundá, a metade se encontra fora de circulação. Uma do SAMU está parada por falta de manutenção e outras duas do HM também segue no mesmo estado

“Destacamos com pesar o atendimento precário no Hospital Municipal de Jacundá onde nos deparamos com a falta de medicamentos, materiais simples e insumos (tesouras cirúrgicas, seringas, luvas, agulhas, bisturi, esparadrapo, canetas, papeis, dentre outros)”. Essa é a situação apontada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública do Estado do Pará (Sintesp).

Para certificar-se dos problemas existentes no sistema de saúde pública de Jacundá, notadamente no Hospital Municipal, o prefeito Ismael Barbosa, a secretária de Saúde, Yara Soarya Taborda, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Ildo Matos, e do vereador Daniel Siqueira Neves, visitaram na manhã de sábado, 10, as instalações da unidade pública de saúde.

E encontraram uma unidade de saúde em estado doentio. “A princípio estamos resolvendo o pagamento dos salários que sofreram um atraso em decorrência de atualização de senhas bancárias. Situação que estará solucionado nesta semana”, garantiu Yara Soraya. “A partir de agora vamos partir para o trabalho”.

Das seis ambulâncias disponíveis em Jacundá, a metade se encontra fora de circulação. Uma do SAMU está parada por falta de manutenção e outras duas do HM também segue no mesmo estado. Yara reconhece que os problemas vão além das ambulâncias. “Falta agulhas e seringas, falta muita coisa. Mas estamos tomando as providências necessárias, pois o compromisso que Ismael fez comigo é pra fazer a saúde melhorar e avançar. A nossa saúde está doente”, garantiu.

Alista de problemas inclui falta de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para os profissionais da área de saúde, ausência de manutenção de equipamentos, prédios públicos da saúde estão em situação precária de conservação, houve redução no abastecimento de carros para transporte de pacientes, atraso no pagamento de diárias dos servidores que se deslocam acompanhando ou conduzindo pacientes e no pagamento de fornecedores.

“Para avaliar todos esses problemas já determinamos uma avaliação técnica, pois sabemos que a nossa população não pode esperar. E estamos visitando todas as secretarias, iniciando pela Saúde porque ela apresenta situações que necessitam de decisões urgentes. E percebemos um verdadeiro descaso. A saúde pública não pode ter esse tipo de situação. Deparando-nos com vários problemas e daqui pra frente vamos procurar resolver o mais rápido possível”, garantiu o prefeito.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!