Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Verão

Secretaria de Segurança de Marabá divulga balanço da Operação Verão 2017. WhatsApp foi responsável por quase 70% dos acidentes em julho

Os resultados, considerados satisfatórios, foram frutos da integração entre DMTU, Guarda Municipal, Agentes Patrimoniais, PM, Policia Civil, PRF e Bombeiros

Por Eleutério Gomes – de Marabá

A Secretaria Municipal de Segurança Institucional (SMSI) de Marabá divulgou, na manhã desta segunda-feira (21), os números da Operação Verão 2017, da qual participaram, além da Guarda Municipal, agentes do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano e Agentes Patrimoniais, as polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal e o Corpo de Bombeiros Militar. Um dado, porém, chamou atenção: 67,4% dos acidentes registrados foram causados por condutores que enquanto dirigiam trocavam mensagens no aplicativo WhatsApp.

De acordo com o inspetor Jocenilson Silva Souza, diretor do DMTU (Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano), essa infração é corriqueira, porém, considerada “gravíssima”, pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), podendo subtrair do bolso do condutor R$ 293,00 de multa e somar sete pontos no prontuário da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) dele. Ainda segundo os relatórios divulgados pela SMSI, em julho de 2016 os acidentes de trânsito somaram 27, já em 2017, devido ao trabalho de Educação de Trânsito e às blitzes preventivas realizadas durante o mês das férias, esse número caiu para 12 (55,6%).

Quanto às abordagens, por parte dos agentes do DMTU, foram 668, com 245 autuações por infrações de trânsito e 113 veículos removidos para o parque de retenção do órgão.

Além do WhatsApp, as demais causas de acidentes foram distância de segmento [distância entre a dianteira do veículo e a traseira do outro à frente] (24,7%), desobediência à sinalização  (2,25%), ultrapassagem indevida (3,4%), ingestão de álcool (1,12%) e outras (1,12%).

A área da cidade em que mais aconteceram acidentes foi o Núcleo Nova Marabá (49,4%), seguido do Núcleo Cidade Nova (41,5%), Velha Marabá (7,9%) e Bairro São Félix (1,12%).

A frota de automotores de Marabá atualmente é de 107 mil veículos, mas, diariamente, circulam pelas vias da cidade mais de 140 mil, se somados os 35 mil de outros municípios cujos condutores ou proprietários vêm a Marabá a trabalho, estudos, consultas médicas, compras ou comparecimento em órgãos estaduais ou federais com sede regional aqui.

A Guarda Municipal, por meio de seu comandante, o inspetor Roberto Lemos Dias, informou que em julho passado aconteceram 11 operações em praças, apreensão de 25 quilos de entorpecentes, um revólver calibre 32 e duas munições e uma imitação de arma de fogo, três prisões por tráfico de entorpecentes, uma prisão por assalto, 210 buscas pessoais e revistas em veículos, seis prisões, duas por porte ilegal de arma de fogo e uma por alcoolemia, um menor apreendido, um caso de furto na praia, um caso de estelionato e uma falsa comunicação de crime.

Ainda de acordo com Lemos, a Guarda Municipal recuperou dois veículos que haviam sido roubados, vistoriou 800 bagagens nos terminais “Pedro Marinho de Oliveira”, na Folha 32, e Miguel Pernambuco”, no Bairro Quilômetro Seis, e na Estação da Estrada de Ferro Carajás. Nesses locais ocorreram ainda 250 abordagens a pessoas e 170 veículos foram abordados nas áreas de embarque. Para o secretário municipal de Segurança Institucional, o inspetor Jair Barata Guimarães, o resultado da operação integrada foi muito satisfatório, na medida em que a diminuição do número de acidentes liberou mais leitos nos hospitais da cidade e fez menos vítimas. “Além dessa redução de vítimas nos hospitais, tivemos uma diminuição do número de crimes cometidos com motocicletas uma vez que foram apreendidos 130 desses veículos”, comemora Jair.

Ainda segundo ele, isso traz mais sensação de segurança à população, já que há quase oito meses a SMSI, por meio dos seus órgãos vem passando por completa reestruturação, com  Guarda Municipal, Agentes Patrimoniais e DMTU em prédios próprios e adequados, assim como uniformes novos, coletes e viaturas circulando, além de 10, das 45 câmeras de vigilância que estavam com defeito, recuperadas.

Deixe uma resposta