Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!

Servidores da Saúde manifestam em frente a Prefeitura de Jacundá

Falta deste papel higiênico. Imagina outras coisas, mas acreditamos que iremos encontrar soluções a curto e médio prazo

Por falta do pagamento salarial referente ao mês de janeiro deste ano, servidores da Secretaria de Saúde protestaram, na manhã desta quinta-feira (15), em frente à Prefeitura Municipal de Jacundá. O atraso supera 10 dias. A secretária de Saúde, Yara Soraya Taborda explicou o motivo: retorno aos trabalhos só após pagamento.

Por mais de duas horas os manifestantes ocuparam parte da Praça dos Três Poderes para exigir a regularização da folha de pagamento que deveria ter sido paga até o 5º dia. Apesar de a grave envolver os mais de 400 servidores, os principais setores estão funcionando normalmente e outros em estado parcial, como é o caso do Hospital Municipal Maria Cecília de Oliveira.

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública do Estado do Pará (SINTESP/PA) organizou, na segunda-feira à tarde, uma passeata pelas ruas da cidade com o “Bloco do Descontentamento”. “Foi uma alternativa para chamar a atenção da população para os problemas que enfrentamos no dia a dia de nosso trabalho: que ao final do mês temos a insegurança de recebermos nossos salários em decorrência de uma instabilidade política”.

Ailton Lima, servidor público, disse que “chegou a hora de pararmos e convocar a população para pressionar melhorias no município. Vamos fazer um grande movimento, unindo as entidades de classes, associações e sindicatos. Precisamos que o povo entenda a nossa situação”.

A secretária de Saúde não titubeou ao explicar o atraso no pagamento da folha salarial: “trabalhamos a quarta-feira toda para solucionarmos esse problema. Entregamos os últimos documentos à Caixa, que pediu um prazo para responder. Acreditamos que amanhã (16) os pagamentos estarão disponíveis nas contas de todos os servidores da Saúde”.

Yara reconheceu os problemas no setor de saúde: “falta desde papel higiênico, imagina outras coisas. Mas acreditamos que iremos encontrar soluções a curto e médio prazo”, finalizou Yara durante a fala aos grevistas.

Deixe uma resposta