Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Emprego

Transformando o lixo em luxo, ONG promete a criação de 12 mil novos empregos no Pará

A previsão é de que serão criados 448 empregos diretos na Confederação e outros 11.960 empregos nas usinas do Grupo INER e nas cooperativas COOPERINER, parceiros da ONG,

A Confederação do Elo Social Brasil (CESB), ONG da sociedade civil com atividades voltadas a combater a desigualdade social dará posse a diretores estaduais e regionais do CESB no Pará e vai apresentar o projeto de construção de Centros de Triagem e Transbordo (CTT) que vai solucionar o problema do lixo em todo o Estado.

Jomateleno dos Santos Teixeira, presidente do CESB, diz que a Confederação está instalando suas regionais em todo o país e que este é o primeiro passo para que cada Estado do Pará tenha usinas e prédios sociais que, além de gerarem empregos, vão oferecer cursos gratuitos a população.

A Confederação terá a parceria do Sindicato Nacional dos Decoradores e Tapeceiros (SINDETAP) nessas ações o que é uma prova de que a sociedade civil organizada pode dar soluções a problemas que os poderes municipais e estaduais não dão conta sozinhos. “Os CTTs – afirma Jomateleno – serão uma revolução na cultura do lixo no Brasil, transformando o lixo em luxo”. No próximo dia 02 de setembro acontecerá o primeiro treinamento, das 08 às 18 h, na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Travessa das Mercês, 304 – São Brás, Belém – PA.

Empregos e Usinas

Em cada um dos Estados, o presidente da Confederação visitará terrenos para a construção dos CTTs (usinas) e, em áreas de risco social, um prédio do Elo Social que oferecerá à população serviços de psicologia, assistência social, e advocacia, além de promover cursos de formação profissional.

No Pará, a Confederação prevê a criação de 448 empregos diretos na Confederação e outros 11.960 empregos nas usinas do Grupo INER e nas cooperativas COOPERINER, parceiros da ONG, que construirá no Estado 58 CTTs (Centro de Triagem e Transbordo), 05 usinas de compostagem, 05 usinas de incineração e 05 usinas de cremação de animais, além das 58 cooperativas. Também estão previstos 64 prédios sociais do Elo Social onde serão desenvolvidos cursos para famílias de baixa renda. “Vamos dar ao lixo o tratamento que ele merece e transformá-lo em riqueza para o Estado de Pará”, afirma o presidente da Confederação, com o programa “Lixo Zero Social 10”, completando que a proposta é acabar com os lixões e “aquelas cenas dramáticas de crianças buscando alimentos em meio ao lixo”.

Como funciona

A equipe técnica da Confederação agrupou os municípios paraenses em regionais com até cem mil habitantes que atuarão em consórcios. Assim, um CTT atenderá o grupo de municípios com cem mil habitantes e cada CTT estará preparado para receber 100 toneladas de lixo orgânico diárias. “Cada pessoa produz, em média, 1 quilo de lixo por dia. As Usinas receberão todo esse lixo, triará as riquezas, deixando o lixo para se tornar novamente matéria prima para compostagem”, explica Jomateleno.

As Usinas do Grupo INER, destaca o presidente do Elo Social, tem o diferencial de reciclar e aproveitar 100% do lixo produzido pelo cidadão. “Isto quer dizer que o nosso compromisso com a implantação do Lixo Zero Social 10 é acabar com todos os lixões ilegais e aterros sanitários”.

O programa “Lixo Zero Social 10” absorve todo o complexo de recepção, tratamento e destinação final dos resíduos, inclusive do lixo hospitalar. De acordo com Jomateleno todo o lixo produzido pelo cidadão e por empresas será recolhido, colocando todos os 144 municípios do Pará em conformidade com a Lei 12.305/10 que cuida da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Deixe uma resposta