Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Brasil

Vale alerta para adoção de comportamento seguro na ferrovia

Situações decorrentes da má conduta de quem vive próximo dos trilhos foram registradas pela mineradora
Continua depois da publicidade

O comportamento inseguro está entre as principais causas de ocorrências ferroviárias envolvendo pessoas. De janeiro a maio deste ano, a Vale já registrou inúmeras situações decorrentes da má conduta de quem convive próximo à Estrada de Ferro Carajás (EFC). Os quase atropelamentos lideram esses registros. O levantamento é da Comissão de Prevenção e Investigação de Acidentes (CPIA) da Estrada de Ferro Carajás.

O supervisor da CPIA, Igor Dias, explica que a Vale trabalha fortemente em campanhas de segurança e de conscientização para evitar ocorrências, mas o comportamento inseguro ainda é um risco. “As pessoas precisam se conscientizar de que elas também fazem parte do conjunto que envolve a ferrovia. As atitudes incorretas e inadequadas são as principais causas dos eventos na via férrea. Precisamos escutar mais, observar mais e ter plena consciência de que somos responsáveis por um trânsito seguro para todos”, destaca. Ele lembra que o comportamento seguro adotado por quem convive com uma ferrovia deve ser o mesmo do usuário em uma rodovia. Ou seja, ser prudente e, principalmente, respeitar as Leis de Trânsito.

Dentre as ocorrências de quase atropelamento, ele destaca algumas situações: motoristas que cruzam a via nas passagens em nível sem conferir se vem algum trem, crianças que brincam perto ou sobre a ferrovia; pessoas que decidem descansar ou dormir sobre os trilhos, ou ainda atravessar por baixo das composições quando paradas. Todos eles estão associados à atitude insegura de motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres, colocando suas vidas em risco.

Além das campanhas e das ações do projeto Caravana nos Trilhos, que reforçam as informações sobre segurança,  a Vale mantém a ferrovia devidamente sinalizada. São mais de 100 travessias, incluindo passagens em nível, viadutos e passarelas, construídas pela Vale para ampliar a mobilidade das comunidades próximas à ferrovia e permitir o cruzamento seguro para todos. “O trânsito mais seguro é responsabilidade de todos. Isso envolve adoção de comportamento seguro, independentemente de se estar na condição de pedestre, ciclista ou condutor”. Ele finaliza com mais um alerta: “Não atravesse na frente do trem nem brinque sobre a linha férrea, uma vez que os trens precisam de longas distâncias até que parem completamente”, alerta.

Veja também:  Vale seleciona trainees para operação de mina em Parauapebas

Atente às orientações:

– Pare, olhe e escute: motoristas, ciclistas e pedestres devem atentar para a sinalização quando estiverem perto da linha do trem;

– Atravesse a linha férrea em locais seguros e sinalizados;

– Se beber, não dirija. Nunca tente cruzar a ferrovia após ter consumido bebida alcoólica. Isso diminui seu nível de atenção e pode causar acidentes;

– Não ande ou brinque sobre os trilhos;

– Não estacione seu carro próximo a linha férrea;

– Ao ouvir a buzina, fique atento: é sinal de que o trem vai passar;

– Não pule nos engates dos vagões;

– Não tente passar por baixo dos vagões enquanto o trem estiver parado. Ele pode se movimentar a qualquer momento;

– Não pegue carona nos vagões;

– Em situações de risco próximo à ferrovia, ligue para o Alô Ferrovias 0800 285 7000.

(Ascom Vale)

Deixe uma resposta