Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Vem aí uma era de oportunidades!

A eleição 2016 em Parauapebas terminou e o grande vencedor foi Darci Lermen, do PMDB, que assume o lugar de Valmir Mariano em 1º de janeiro para tentar cumprir as promessas, ou compromissos como dizia quando em campanha, que levarão o município a voltar a ser a “terra das oportunidades”.

Bom, passado o período eleitoral, o prefeito eleito deve formar nos próximos dias sua equipe de transição, quando terá real conhecimento da situação financeira do município de Parauapebas. Darci (foto), um político experimentado e populista, abusou do direito de prometer o que sabe não poderá cumprir. Normal em políticos profissionais, normal em campanhas eleitorais.

A denominação dada à sua coligação traduz o norte da campanha do prefeito eleito: “Parauapebas da oportunidade”.

Darci prometeu gerar emprego e renda no município, o que me parece meio complicado de cumprir, já que nos últimos anos o país perdeu milhões de pontos de emprego e mesmo com vários projetos de sua ex-companheira de partido, Dilma Rousseff, permanece estagnado nesse quesito. Não vejo como essa promessa ser cumprida nos próximos anos, já que a Vale, principal geradora de emprego no município está em fase de absoluta retração nos investimentos. O principal projeto da empresa na região, o S11-D, está em fase final e demissão após demissão é o que se vê nos últimos meses por parte da mineradora e suas terceirizadas.

Não podendo contar com a Vale para impulsionar a geração de emprego, o futuro alcaide deverá fomentar a criação de novas alternativas. Agricultura familiar, turismo, criação do Porto Seco, crescimento do polo moveleiro,  criação dos polos de gemas e joias, serralheiro e industrial de serviços, além do polo de tratamento de resíduos são algumas das alternativas apresentadas por Darci em seu Plano de Governo entregue à Justiça Eleitoral, quando do seu registro de candidatura, para incentivar a criação de empregos e renda. Mas, até onde essa promessa poderá ser cumprida, já que há uma forte queda na arrecadação e uma total desqualificação de nossa mão de obra?

A tarefa de Darci Lermen não é nada fácil. Politicamente, ele tem 15 partidos que o impulsionaram  à vitória e que aguardam, alguns impacientemente, o retorno do futuro alcaide pela ajuda que deram. Compromissos foram feitos e, alguns, jamais poderão ser cumpridos. Moleza para Darci, a quem costumo chamar de “encantador de serpentes” dada a sua grande habilidade de contornar situações difíceis que já se apresentaram quando de sua primeira gestão como prefeito. Darci sabe como poucos dizer o que seus interlocutores querem ouvir. Promete e pede a confiança do requerente mesmo sabendo ser impossível cumprir na totalidade a solicitação. Se isso eleva sua capacidade de gerir futuras crises, diminui na medida que os futuros interlocutores já o conhecem de outros carnavais. Resta saber se o futuro alcaide amadureceu politicamente e tem a consciência de que os tempos são outros.

Darci governou Parauapebas quando o município passava pelo seu melhor momento. A Vale vendia o minério de ferro por preços duas vezes e meia superiores ao que se pratica hoje e a maioria dos projetos na região do entorno de Parauapebas estava no início e a procura por mão de obra era latente. Hoje acontece o inverso, sem contar que a Lei de Responsabilidade Fiscal, que apesar de promulgada no ano 2000, agora pegou e impõe aos gestores um controle mais rígido dos gastos e uma maior transparência nas prestações de contas, fatos que outrora não preocupavam gestores como Darci Lermen.

O Congresso Nacional vem trabalhando e as falsas promessas de campanha podem estar com os dias contados. Proposta de emenda à Constituição (PEC) em tramitação na Câmara dos Deputados torna inelegíveis os políticos que prometerem “mundos e fundos” aos eleitores sem, no entanto, levar em conta o lastro com a realidade. De acordo com o texto batizado de PEC das Metas dos Governantes, o prefeito, governador ou presidente da República eleito será obrigado a apresentar, no prazo de até quatro meses após a eleição, um plano de metas que tenha informações minuciosas das ações de governo. Ainda conforme a PEC, esse detalhamento deverá estar em sintonia com o plano de governo que os candidatos já são obrigados a apresentar à Justiça Eleitoral no ato de registro da candidatura, como fez Darci (confira o plano de governo apresentado pelo peemedebista).

É evidente que os bastidores de uma campanha eleitoral vitoriosa como a de Darci em Parauapebas jamais são revelados. Seria interessante saber o que foi prometido ao futuro candidato a governador Helder Barbalho (PMDB) para que este retirasse o apoio que vinha sendo dado ao candidato Marcelo Catalão (DEM) em troca da vaga do partido dirigido pelos Barbalho no Pará, ou, o que foi acertado com 15 outras lideranças políticas locais para que ele recebesse o apoio incondicional deles, já que a atual administração está composta de 17 secretarias, 4 coordenadorias e 4 assessorias e departamentos. Pouco espaço para muitos requerentes.

Estou em Parauapebas há exatos 32 anos. Vi essa cidade nascer e crescer. A conheci com apenas dois bairros e a vejo hoje com cento e vinte e oito, se é que novos não nasceram depois da última contagem. Parauapebas é um município diferente, tem suas peculiaridades e a fama de município rico, o que hoje mais atrapalha do que ajuda. Espero que o futuro gestor tenha a capacidade de gerir os problemas que certamente aparecerão com a sapiência de um líder e a coragem de um visionário, deixando o populismo de lado e sendo coerente com o que propôs em seu plano de governo.

“O objetivo maior é a reconstrução do município, resgatando a autoestima do povo, gerando oportunidades para todos e principalmente ampliando a oferta de emprego nos mais diversos setores. Acreditamos que somente um grande esforço coletivo poderá reerguer Parauapebas aos bons tempos do pleno emprego, do direito de sonhar e construir a felicidade para nossas famílias”. (trecho do plano de governo apresentado à Justiça Eleitoral pelo então candidato Darci Lermen).

Que assim seja feito !

Comentários ( 20 )

  1. Parabéns! Ótima matéria, muito lucido e coerente, desprovida de paixão politico partidário.
    Espero que se e quando fechar um acordo com a gestão em questão, continue assim; principalmente por respeito aos leitores!

  2. O plano do Lorim para gerar emprego é criar um grande projeto de hidroponia para cultivo de hortaliça. Parabéns pelo excelente texto Zé, muita maturidade política oculta nele.

  3. Bom texto Zé
    Darci abusou da ignorância do povo prometendo tirar a cidade da crise e gerar empregos. Sendo que isto não está no poder de nenhum prefeito.
    Bora ver que jeito ele vai dá pra isso!

    Acho que ele vai arrumar uma “bocada” pra cada um e no final vai tá tudo certo. Infelizmente

  4. Política de sempre: ninguém liga pro que é bom ou importante pra cidade ou pra sua população. Apenas brigam pelos espaços de poder, se elegem com votos de cabresto e negociam o apoio dos grupos com quem deveria formar opinião consciente e investir no nosso desenvolvimento.
    Depois da eleição ganha, pagar os dividendos daquela conta que nunca fecha.
    Cada um cuidando do seu, como sempre.

  5. Darci teve seus méritos, eu tenho na minha consciência que não votei para ex gestores do passado e no velhote, meu voto foi para o 25 Marcelo Catalão, mas aguardar o andamento do processo eleitoral, deixem o homem assumir o seu mandato, para avaliarmos o seu desempenho, não adianta bombardearmos antes de sua posse, respeito as outras opiniões dos leitores, ainda continua nos dias de hoje em Parauapebas, observasse que nos dias de hoje existem pessoas apaixonadas por determinado prefeito, temos que respeitarmos o que o povo escolheu para governar o município. Vida que segue.

  6. Isso aí, Darci terá um grande trabalho pela frente. O que me causa estranheza é falar de “mais diversos setores” se o mesmo governou por longos 8 anos e nunca se atentou a isso. Walmir apenas continuou o seu legado e isso é fato, e o tempo passa e sabemos que a mineração não é para sempre. Ou ele toma frente de forma coesa e estabelece bases para um desenvolvimento de outros setores, ou simplesmente obterá título de doutô onoris causa em articulações políticas, apagamento de incêndios e truques de magia.

  7. Claro que não queremos o pior; nós queremos melhorias para nossa cidade, mas a grande preocupação é realmente o que está por traz da eleição do Prefeito do Pebas. Sabemos que o Município é importante para a articulação a nível de 2018, é aí que a jeripoca pia, a corja que a quem Darci se vendeu, vai cobrar a preços altos sua eleição… Bem, como vai administrar as “oportunidades” esperamos que seja em favor dos parauapebenses e não em favor dos larápios que lhe sustentaram a campanha, além, é claro de se pagar o cache dos sedentos pelo poder e pela grana naturalmente… Se a galera estiver com a mesma sede dos últimos mandatos quando a grana sobrava, haja “oportunidade” para render.

  8. Meu caro blogueiro, estranho seu pessimismo, vc que sempre foi uma das forças motrizes e entusiastas da região.
    Você acredita ainda nesse terrosismo da Vale? Segundo relatório da própria Vale (file:///C:/Users/pc-119323/Downloads/Relatorio_Vale_Parauapebas_2016%20(1).pdf) as perspectivas para futuro são as melhores possíveis.
    Você sabia que em 2015 a produção de minério de ferro bateu recordes de 127 milhões de toneladas em relação ao ano anterior. A Mina do Azul em Parauapebas é responsável por 80 % de produção de Manganêse em 2015 atingiu a 1, 7 milhões de toneladas.
    A Vale está construindo uma infra estrutura gigantesca na região com um investimento que 8 bilhões de DÓLARES.
    Você acha que tudo isso seria feito com previsões pessimistas para o futuro?
    A queda na arrecadação se deve à má fiscalização, a má preparação técnica da União, da legislação inoperante que dá à União o poder de arrecadar, apesar de a União ficar com a parcela quase dez vezes menor que o Município.
    Tentam engessar o Município.
    Há muito Manganês e Minério de Ferro e várias outras jazidas ainda inexploradas em Parauapebas.Ou você acha que os hoteis, aumento de infra estrutura, faculdades não fazem estudo antes de investir seu dinheiro aqui?
    Agora, com relação aos gestores, cabe a eles utilizar as leis existentes ou firmar convênios para não deixar a Vale nos passar a perna. Tem que se preocupar com a Vale sim. Outras fontes de recursos devem ser criadas, pensadas e efetivadas, mas não se pode deixar a Vale fazer os gestores de bobos e passar aquilo que eles querem como imposto ou royalties.
    Quanto ao Darci, ou Valmir, ou quem quer que seja, eles podem ser o que for, mas não estão com os olhos tapados para isso.
    Valmir é obreiro, faz, não se atenta aos procedimentos e constrói, sem se preocupar com o lado humano. Se não fosse pressionado não concederia nenhum benefício aos servidores. Mal da iniciativa privada.
    Darci tem uma visão mais humanista, servidor público que sempre foi.
    Um tem formação de engenheiro ( exatas) . Outro tem formação de professor ( humanas). O Engenheiro, nem para os engenheiros foi sensível. Mão de obra qualificada de uma cidade como Parauapebas tem que ter ganhos compatíveis com sua responsabilidade. E o pior que nem arrecadar ele soube.
    Vivemos os anos mais conturbados da Administração Pública de Parauapebas. Viramos mais que chacota nacional. E não podemos.

    1. Sempre fui, sou e serei sempre um otimista! O S11D, o maior investimento em execução feito pela Vale não minimizará os efeitos do preço do minério de ferro, que tende a subir, todavia não em um curto período de tempo. Não adianta mais a Vale bater recordes de produção, não é esse mais o caso, pois não há como transportar mais minério do que o que será transportado com a duplicação da ferrovia. O mercado do minério de ferro funciona de forma diferente e essa baixa no preço serviu para mostrar quem tem garrafa seca pra vender. As pequenas e médias mineradora que, queiram ou não, atrapalham na formação do preço, essa fecharam as portas e a Vale nadará de braçada em um futuro breve.
      Gostei de sua análise sobre a personalidade profissional de Valmir e Darci, apesar de já ter dito no texto que Darci é populista e sabe lidar com situações políticas de forma mais adequada que Valmir. Volte sempre !

  9. MILAGRES ACONTECEM, MILAGRES ACONTECEM, MILAGRES ACONTECEM, EU ACREDITO EM MILAGRES DARCI SAIU DO PT E FOI PARA O PMDB. UM GRANDE PARTIDO DE POLÍTICOS DESCENTES NÃO TEM NENHUM COM FICHA SUJA, TODOS SÃO SANTOS, O MAIOR ÍDOLO SE CHAMA CUNHA, O QUE FEZ UM FAVOR AO PAÍS, TEM UM PRÓXIMO FUTURO GOVERNADOR FILHO E HERDEIRO DO HOMEM QUE JÁ FOI CONSIDERADO O MAS HONESTO DA TERRA, EU ACREDITO EM MILAGRES EM PAPAI NOEL, EM POKEMON, E TAMBÉM EM HONESTIDADE.

    1. Excelente análise caro Anonimous, veja que Pokemon já existe em realidade virtual, meu filho ainda crê em papai noel. Além de Cunha, temos ai figuras que são uns verdadeiros SUPERSINCEROS. Darci só mudou do PT para o PMDB pra não ter que repintar todos os prédios públicos municipais de vermelho. O Helder também, nem se fala, cabra bom de berço. E assim caminha a humanidade, ou melhor, Parauapebas.

  10. Parabens! Muito bom o texto bem como o conteudo esclarecedor para os amantes da politica . Necessitamos urgentemente mudar o cenario de nossa cidade e temos posibilidade de reverter desde que haja compromisso politico e compromisso tambem da sociedade civil organizada que tambem e responsavel.

Deixe uma resposta