Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
educação

Vereador pede estudo técnico para criação da Universidade Municipal de Parauapebas

E presidente da Câmara Municipal cobra a doação de terreno para a instalação do campus da UEPA.
Continua depois da publicidade

Por Dayse Gomes

O jovem vereador, Rafael Ribeiro (PMDB), desde que assumiu a vaga deixada por José Couto, atual secretário municipal de saúde, vem usando a plenária da câmara para defender o ensino público em Parauapebas. Com apenas 23 anos e uma experiência adquirida no movimento estudantil, o vereador busca a criação da Universidade Municipal de Parauapebas.

Rafael Ribeiro apresentou nesta terça-feira, dia 10, a indicação para que a Prefeitura de Parauapebas, através das Secretarias Municipais de Planejamento e de Educação, elabore um estudo técnico para verificar a viabilidade da implantação de uma universidade municipal. Um levantamento feito pelo vereador, através do IBGE, apontou que em 2015 já eram mais de 11 mil alunos do ensino médio, uma demanda alta para pouca oferta de vagas nos cursos superiores em Parauapebas. Rafael disse que no Brasil existem 57 universidades municipais, atualmente. Mas a inspiração para a criação da universidade no município, vem do estado vizinho: o Tocantins. Segundo Rafael, na cidade de Gurupi foi criado o Centro Universitário Unirg que é uma Instituição Pública Municipal de Ensino Superior mantida pela Fundação Unirg, entidade de direito público. Atualmente a instituição conta com mais de 4 mil alunos e cerca de 400 professores. “Em Gurupi foi uma luta de 15 anos e pode ser que em Parauapebas, a criação da universidade demore 10, 15 anos, mas a luta precisa começar”, destacou Rafael. O vereador disse ainda que a criação da universidade pública faz parte dos planos de governo do prefeito Darcy Lernem. “Conversei com o prefeito e com o secretário Raimundo Neto, que esteve em Gurupi conhecendo a estrutura da Unirg. A partir de agora, a gente quer que seja feito esse estudo de viabilidade técnica porque sem dúvida nenhuma, é uma nova matriz econômica para o nosso município”, enfatizou Rafael.

Campus da UEPA

O presidente da Câmara, o vereador Elias Ferreira (PSB), aproveitou a discussão em torno do ensino superior em Parauapebas, para lembrar sobre a situação da instalação do Campus da Universidade Estadual do Pará (UEPA) no município. “Durante uma visita às instalações da Vale, eu fui surpreendido com a informação do gerente que desde 2012, há R$ 20 milhões depositados para a construção da UEPA em Parauapebas. Para que esse projeto fosse viabilizado, bastava a UEPA entrar com o projeto e a Prefeitura com o terreno. Então procurei o secretário municipal de planejamento, João Correa, que informou que a UEPA já tinha dado entrada com a documentação necessária, faltando apenas os 30 mil metros quadrados do terreno”, informou o vereador que disse estar preocupado com a demora do município em doar o terreno. “O que a gente pede ao poder executivo é que agilize essa doação para não perdemos esse recurso e não corra o risco da UEPA mudar o campus para outra cidade como já aconteceu no passado”. Elias se refere ao convênio em 2011, entre a Vale e a Prefeitura de Parauapebas para a instalação do campus da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFFESPA) que acabou indo para o município de Santana do Araguaia. “No mês passado, a gente oficializou o poder executivo cobrando explicações sobre a UEPA. Agora estamos aguardando a segunda reunião para saber como está a situação da doação do terreno” destacou Elias.

Ensino Superior

Em Parauapebas existe apenas o campus da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). As outras instituições de nível superior oferecem pouquíssimos cursos na cidade. No Centro Universitário de Parauapebas (CEUP) funcionam os cursos de Direito, Engenharia Civil e Engenharia Mecânica resultado de um convênio entre a Universidade Federal do Pará (UFPA) e a Prefeitura de Parauapebas. Existe o polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) que funciona na modalidade a distância, pela UFPA, com o curso de Licenciatura de Matemática e a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Uniffespa) que oferece o curso de geografia.

Comentários ( 3 )

  1. QUAIS SERIAM AS FONTES DE RECURSOS PARA CRIAÇÃO DA UNIVERSIDADE ?
    ELA SERIA UMA AUTARQUIA ?
    OU ESTARIA VINCULADA A ADMINISTRAÇÃO DIRETA ?
    COMO SERIA O CRITÉRIO DE ESCOLHA DO SEU CORPO DOCENTE ?
    QUAL COLEGIADO ESTARIA SUBORNADA NO MINISTERIO DA EDUCAÇÃO RESPONSAVEL PELO ENSIMO PUBLICO ACADENICO.
    QUAIS AS LINHAS DE PESQUISA E FUNDAMENTO CIENTIFICOS .

    OBS :

    MAIS UMA UNIVERSIDADE PUBLICA NO MUNICIPIO DE PARAUAPEBAS CUJA AS VAGAS SERÃO PREENCHIDAS POR OUTROS BRASILEIROS DE OURAS REGIÕES DO ESTADO E DO PAIS .

    MESMO COM O CRITÉRIO DE COTAS E CLASSIFICAÇÃO NO ENEM PARA ESCOLAS PUBLICAS .

    O PRINCIPAL DESAFIO SÃO APRESENTAR AS FONTES DE RECURSOS E PATROCINADORES DA UNIVERSIDADE PUBLICA MUNICIPAL .

    AS FONTES DE RECURSOS SÃO LIMITADAS E CADA VEZ MAIS ESCASSAS O ENSIMO FUNDAMENTAL PUBLICO DE QUALIDADE É A BASE DE FORMAÇÃO DO SOMO FUTURO E O FOCO DO MUNICIPOIO .

    PENSE NISTO !

    WANDER

  2. Boa tarde,

    Moro em Tucuruí e vou aqui deixar minha opinião. Mais interessante seria que o nobre vereador apresentasse projeto de fortalecimento à UFRA que já possui seu campus instalado nessa cidade. Os recursos que o município disponibilizaria para implantar e custear uma Universidade Municipal, poderia ser disponibilizado para a implantação dos novos cursos já programados (confira PROPLAIN no sitio da UFRA) que por sinal são bem interessantes. Também poderia está solicitando da própria UFRA que apresentasse junto ao MEC o projeto de implantação do curso de Medicina, Direito e outros de interesse da comunidade local, pois a UFERSA que é uma Universidade Rural do Nordeste, já está com esses cursos em pleno funcionamento. Em vez de investir na UEPA, melhor seria carrear os recursos pra UFRA implantar seu projeto para Parauapebas, fazendo com que a cidade fosse detentora de uma grande Universidade,

Deixe uma resposta