Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Conceição do Araguaia

Comandante do 10º GBM explica ausência de salva-vidas na praia em Conceição

Major Galucio afirma que o Comando Operacional, em Belém, não destacou homens para a praia no meio da semana. Na terça-feira, uma criança e um adulto morreram afogados
Continua depois da publicidade

Na manhã desta quinta-feira (12), o major marcos Felipe Galucio de Souza, comandante do 10ª Grupamento Bombeiros Militar, de Redenção, falou à Reportagem do Blog sobre a morte, por afogamento, da menina Larissa Oliveira, 12 anos, na Praia das Gaivotas, em Conceição do Araguaia, na última terça-feira (10), uma vez que a família da garota criticou o fato de não haver nenhum salva-vidas, naquele dia, no balneário. Fato que foi muito comentado nas redes sociais. Na mesma ocasião, também afogado, morreu nas águas do Rio Araguaia o psicólogo Marcos Renan.

De acordo com o oficial, a ausência do Corpo de Bombeiros na praia se deu em razão do cronograma de planejamento inicial da corporação realizada pelo planejamento do Comando Operacional (COP), em Belém. “O COP, manda uma nota de serviços e nós cumprimos”, explicou o major.

Essa nota de serviços, ainda segundo ele, leva em consideração alguns critérios, tais como: efetivo disponível, solicitação dos municípios para dias específicos e conhecimento prévio do fluxo de banhistas nesse tipo de balneário.

Major Felipa explica que a Praia das Gaivotas, em Conceição do Araguaia, é um balneário em que, nos últimos anos, não havia fluxo muito grande de pessoas durante a semana, somente nos finais de semana. E o planejamento do COP foi feito no sentido de cobrir a praia, somente nas sextas, sábados e domingos.

Galucio disse ainda que, nos últimos dias, o Corpo de Bombeiros percebeu um alto número de banhistas durante a semana e, baseado nisso, solicitou ao Comando Operacional para que remanejasse uma equipe para ficar, a partir desta sexta-feira (13) até o final da Operação Veraneio, em Conceição do Araguaia, monitorando os veranistas, usando a sinalização e demarcando o local onde devem ou não permanecer.

O major recomenda aos pais que levam os filhos às praias, que fiquem próximos deles, não os percam de vista um segundo sequer. “É natural que a família, quando procura um balneário, procura para diversão, mas, os pais devem ter em mente que você não vai para a praia para se divertir quando leva uma criança. Vai para assegurar a segurança do seu filho”, aconselha o oficial.

O comandante do 10º GBM disse ainda que, os pais que levarem seus filhos ate o balneário, não devem ingerir bebidas alcoólicas. “Mesmo com a presença do Corpo de Bombeiros, é importante que os pais fiquem próximos de seus filhos, olhando o tempo todo, evitem beber bebidas alcoólicas, evitem ficar sentados nas barracas e fiquem diretamente na beira da água monitorando o banho das crianças”, reforça Galucio.

Deixe uma resposta