Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Identificado corpo desovado no Rio Parauapebas

Trata-se de Rosivania Torquato Xavier, que estava em litígio com o ex-marido por causa de divisão de bens
Continua depois da publicidade

Foi identificado como de Rosivania Torquato Xavier, de 29 anos, o corpo resgatado pelos Bombeiros na tarde de segunda-feira (17), do Rio Parauapebas, sob a ponte do City Park, conforme  noticiado pelo Blog. Segundo informação do delegado Felipe Oliveira, a mulher havia registrado Boletim de Ocorrência na 20ª Seccional de Polícia Civil, relatando que o marido queria tomar a casa dela, uma vez que o casal estava separado. O homem, cujo nome não foi revelado também havia procurado a delegacia par queixar-se dela em razão da desavença na partilha dos bens.

Familiares de Rosivania, que chegaram ontem (20), a Parauapebas, oriundos de Colinas (MA), estiveram na Delegacia de Polícia Civil e no Instituto Médico Legal onde reconheceram o corpo dela que, depois da necropsia foi trasladado para a cidade natal.

Quanto a comentários de que a mulher havia sido jogada no rio ainda com vida, o delegado disse que só o laudo do IML vai dar uma resposta. No momento, a maior preocupação dele é localizar os dois filhos de Rosivania, um menino de 11 e uma menina de 9 anos, que estão desaparecidos desde o dia do crime.

O corpo de Rosivania foi encontrado envolto em uma lona azul, dos pés à cabeça e com vários tijolos e pedras amarrados para que não boiasse. Na avaliação dos bombeiros, tudo leva a crer que o corpo foi lançado da ponte juntamente com as pedras para que ficasse submerso e não fosse encontrado. Porém, como o rio está seco e a lona era bem clara, alguém percebeu e avisou a polícia.

 

Marabá

Polícia está na caça de homem que matou professor do IFPA em Marabá

Ederson Costa foi alvejado com 2 tiros na cabeça depois de dar cavalo de pau na rodovia Transamazônica e discutir com seu algoz
Continua depois da publicidade

O Departamento de Homicídios da Polícia Civil em Marabá está na caça do homem que matou o professor Ederson Costa dos Santos, depois de uma discussão de trânsito, na Rua Pedro Marinho, em frente o Sesi, em Marabá. O crime ocorreu por volta de 1 hora da madrugada de sábado para domingo, dia 5.

Em entrevista na manhã desta segunda-feira, 6, o delegado de Polícia Civil, Ivan Pinto da Silva, informou que os investigadores da Divisão de Homicídios estão empenhados em elucidar o crime do professor Ederson Costa, e revelou que a polícia já dispõe de um vídeo com imagens da câmera de um consultório em frente ao local onde ocorreram as discussões e o assassinato.

O delegado disse ainda que já foram ouvidas algumas testemunhas, entre elas duas jovens que seriam alunas do professor Ederson Costa no Campus Industrial do Instituto Federal do Pará (IFPA). “As imagens das cenas do crime estão sendo tratadas e temos indícios de que o homicídio tem relação com uma discussão de trânsito. O professor fez uma manobra não permitida (cavalo de pau) próximo à Tertúlia, na Rodovia Transamazônica. O carro que estava atrás acabou se chocando contra o do professor”.

Ainda segundo o delegado, Ederson vinha de um bar, onde estava com amigos e estaria levando duas alunas para casa. Depois de dar o cavalo de pau e chocar-se com o outro veículo, ele não parou para prestar auxílio e preferiu empreender fuga, mas acabou parando seu carro próximo ao Sesi, no bairro Novo Horizonte. Neste local, chegou a discutir por cinco minutos com uma mulher e um rapaz (ambos jovens), mas ainda sem identidade revelada.

Quando a discussão parecia ter cessado, o professor foi alvejado com dois tiros de pistola pelo homem com quem discutiu.  “Vamos chegar à autoria desse homicídio. Temos testemunhas que passaram pelo local durante o episódio, as quais estão sendo intimadas. Estamos aguardando o homicida comparecer à delegacia. Ainda não temos o nome dele, mas possuímos elementos suficientes para chegar até ele, inclusive a placa e modelo do veículo que estava dirigindo”.

A câmera do consultório, ainda segundo o delegado Ivan Pinto, filmou tudo, inclusive a chegada dos policiais, do SAMU e a retirada do corpo do local do crime.

Luto até quarta-feira

Nesta segunda-feira não houve aula no Campus do IFPA. A direção declarou luto e divulgou uma nota de pesar com o seguinte teor: “É com muita tristeza que o Campus Marabá Industrial informa o falecimento do professor Ederson Costa dos Santos. A instituição enfatiza o empenho e dedicação no excelente trabalho prestado nesses quatro anos como servidor do Instituto Federal do Pará (IFPA).

O professor Ederson nasceu no dia 27 de agosto de 1988 e faleceu na madrugada deste sábado, 4 de agosto de 2018. O Marabá Industrial decretou luto oficial e as atividades do instituto ficam suspensas até a próxima quarta-feira, 8”.

Nas redes sociais, dezenas de pessoas, entre familiares, colegas de trabalho e alunos deixaram mensagens, demonstrando o quanto o professor era querido.

Selma Rodrigues, também servidora do IFPA, postou a seguinte mensagem: “É muito triste e doloroso perder um ente querido, amigo, colega de trabalho. A violência está cada vez mais presente em nosso dia-a-dia. Saímos de casa e não sabemos se voltaremos para o aconchego de nossa família. Meus sentimentos aos familiares e aos servidores do campus Marabá Industrial”.

Ulisses Pompeu – de Marabá
Marabá

Oficina de moto é palco de homicídio ao meio dia

Dejane Viana foi morto nesta sexta-feira com vários disparos de arma de fogo e bandidos fugiram em uma moto
Continua depois da publicidade

Por volta de 12h30 desta sexta-feira, 27, um pistoleiro entrou em uma oficina de motocicleta no Bairro Laranjeiras, em Marabá, e disparou contra Dejane Viana Reis, 33 anos. O crime aconteceu na Avenida Itacaiunas, bairro Cidade Nova, próximo à Feira Coberta do bairro Laranjeiras, em Marabá.

Dejane tinha acabado de chegar à oficina de bicicleta, quando foi surpreendido por um pistoleiro. O comparsa do atirador ficou aguardando, à distância, a execução de Dejane Viana, e em seguida ambos empreenderam fuga, tomando rumo ignorado.

Natural da cidade de Tucuruí, Dejane chegou a Marabá nos anos 90. A vítima era bastante conhecida no Complexo Cidade Nova, tinha vários amigos e era uma pessoa bastante carismática. O morador do bairro Laranjeiras foi atingido por pelo menos três disparos de arma de fogo, possivelmente uma Pistola 380, sem nenhuma chance de defesa, e morreu no local do atentado. A Divisão de Homicídios da 21ª Seccional de Polícia Civil já está investigando a autoria de mais esse assassinato em Marabá.

Jacundá

Lula matou a namorada com golpes de madeira e pegou 20 anos de prisão

Criminoso levou Edileuza para local ermo e ainda estuprou a jovem e abandonou o corpo sem roupas
Continua depois da publicidade

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de Jacundá condenou a 20 anos de prisão o réu Antonio Lula Marques pelos crimes de estupro e homicídio contra vida de sua namorada, Edileuza Ciriano Ribeiro, em 31 de abril de 2016. A condenação foi anunciada após 7 horas de julgamento.

O defensor público José Erickson Ferreira Rodrigues atuou na defesa do indiciado, enquanto o promotor Sávio Ramon trabalhou na acusação. Formado por seis mulheres e um homem, o conselho teve na presidência o juiz Edinaldo Antunes Vieira.

“O conselho de sentença chegou à decisão e cabe ao juiz acatá-la”, disse o magistrado, ao anunciar a pena do acusado. “O réu foi submetido a julgamento pelo egrégio Tribunal do Júri nesta data. Por maioria de votos reconheceu a culpabilidade relativamente ao crime de homicídio qualificado por meio cruel e contra a mulher por razão de sexo feminino praticado contra a vítima Edileuza Ciriano Ribeiro. Pelo segundo crime, de estupro, também o conselho de sentença reconheceu a culpabilidade do acusado”, diz trecho da peça condenatória.

O documento diz ainda que em razão do crime de homicídio consumado, o réu agiu com dolo anormal, pois aproveitando da relação de confiança, a levou para local distante e a matou com golpes de madeira, sendo condenado a 14 anos de reclusão por essa barbárie. Em relação ao crime de estupro, o condenado acumulou mais 6 anos de reclusão, totalizando 20 anos. Restam 17 anos e seis meses para ser cumpridos, pois o mesmo está preso desde à época do crime.

Edileuza permaneceu desaparecida por três dias. Nesse intervalo de tempo, o acusado foi preso pelo crime de furto de um aparelho de som, subtraído da residência da vítima. Com Lula estava também a chave do imóvel. Dois trabalhadores de uma fazenda a 10 quilômetros do centro da cidade de Jacundá encontraram o corpo da mulher, que estava despido, com um cinto em volta do pescoço e com o rosto desfigurado, provavelmente por espancamento por meio de um pedaço de madeira.

Redenção

Primos são encontrados mortos com 13 tiros em Cumaru do Norte

Os dois jovens eram de Redenção e a família acredita que eles tenham sido vítima de uma emboscada
Continua depois da publicidade

José Roberto Barbosa, de 22 anos, e Carlos Eduardo Barbosa Lima de 21, ambos naturais de Redenção, foram assassinados na noite do último sábado (14).  Os corpos estavam jogados à margem de uma mata na estrada que dá acesso à Fazenda Cumaru do Sul, município de Cumaru do Norte. A propriedade fica localizada às proximidades do vilarejo conhecido como Trairão.

Os dois jovens são primos e segundo informações de familiares, eles estavam residindo em Cumaru do Norte e consideram que Roberto e Carlos e Eduardo tenham sido vítimas de uma emboscada.

Ainda de acordo com familiares, no dia do crime os dois tinham saído para trabalhar em uma área de garimpo. Os corpos foram encontrados com várias perfurações de bala. O corpo de Carlos Eduardo tinha oito marcas de tiros nas costelas, enquanto no de Roberto foram encontradas cinco perfurações nas costas, além do rosto ter ficado praticamente irreconhecível.

A Polícia Civil de Cumaru do Norte segue investigando para tentar descobrir a motivação do crime e os responsáveis pelo duplo homicídio, uma vez que os corpos foram encontrados sem roupas.

Na manhã do último domingo (15), as famílias dos jovens saíram de Redenção para fazer o sepultamento dos jovens, que ocorrerá na tarde desta segunda-feira (16), na mesma cidade onde o crime aconteceu.

Polícia

Traficantes presos e corpo encontrado em Parauapebas

A Polícia Civil desencadeou nesta quinta-feira a Operação Impacto III, com o apoio da Polícia Militar do Canil da Guarda Municipal de Marabá
Continua depois da publicidade

Desencadeada pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (5), em Parauapebas, a Operação Impacto III teve por objetivo combater o tráfico de entorpecentes no município. Como resultado, foi realizada a apreensão de um volume considerável de drogas, entre crack, cocaína e maconha; aproximadamente R$ 2,5 mil; arma branca; joias; celulares e uma motocicleta. A ação teve o apoio da Polícia Militar, do Grupamento Aéreo de Segurança Pública e do Canil da Guarda Municipal de Marabá.

A caça ao tráfico teve à frente a delegada Simone Felinto, superintendente regional de Polícia Civil do Sudeste do Pará; o subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, major Emmett Alexandre Moulton e a diretora da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, Yanna Azevedo.

Durante a operação foi preso em flagrante o casal Elisângela Rodrigues Correa e Alair Freitas Barbosa, além de duas adolescentes – uma de 15 e outra de 17 anos – que estavam em sua companhia. Na casa do casal foram apreendidas drogas, dinheiro, telefones celulares, documentos e uma motocicleta roubada.

Ambos irão responder por tráfico, associação ao tráfico e corrupção de menores. Elisângela disse na delegacia que o casal resolveu traficar para custear o tratamento, medicamentos e exames do marido, que é cadeirante.

Desova

Também nesta quinta-feira, por volta de 1h da manhã, a Polícia Civil foi avisada, por meio do Centro de Controle Operacional (CCO), da existência de um cadáver no Bairro Novo Vitória, sentido Palmares Sul. No local, havia um corpo envolto em uma cortina e no forro de sofá.

Segundo os policiais que fizeram os primeiros levantamentos, há indícios de que ele foi assassinado em outro lugar e desovado ali. O cadáver é do sexo masculino; ele teve o pescoço cortado e dois dedos de uma das mãos decepados; tem uma estrela tatuada num dos pulsos e notas musicais nos bíceps; vestia uma camisa azul, bermuda com desenhos coloridos e cueca preta com cós vermelho. Quem souber de quem se trata deve ligar para o disque-denúncia da Polícia Civil, no número 181.

homem encontrado enrolado no lençol

 

Marabá

Conhecido DJ executado em Marabá na madrugada desta terça-feira

DJ Felipe ainda tentou fugir de seus algozes, mas foi alcançado e teria sido atingido por mais de 10 tiros
Continua depois da publicidade

Os profissionais da noite marabaense amanheceram hoje, terça-feira (5), enlutados e assustados com a morte do DJ Carlos Felipe Ferreira da Silva, ou “DJ Felipe”, como era mais conhecido. Ele foi executado por volta das 2 horas da madrugada, nas proximidades da Folha 10, Núcleo Nova Marabá, após ter sido perseguido por dois homens em uma moto. Felipe, que ainda tentou fugir dos pistoleiros, teria levado mais de 10 tiros, segundo as primeiras informações.

DJ Felipe, além de animador de festas e outros eventos, era empresário da noite e se dirigia a um dos dois empreendimentos do qual era sócio arrendatário, o Clube Dubai, antigo Cupu Night. Ele também era ex-tenente temporário do Exército e gozava de muito carinho a prestígio entre os colegas de profissão e demais artistas da noite marabaense.

O radialista Leverson Oliveira está abalado com a morte de Felipe, com quem trabalhava por 10 anos, e que o acompanhava ultimamente na Rádio Carajás FM. “Ainda ontem à tarde estivemos junto no programa”, conta Leverson. Ele afirma que nunca soube do envolvimento do DJ em algum negócio desonesto nem de algum envolvimento extraconjugal.

“Ele era um cara muito trabalhador, casado, bastante animado e sempre estava com o astral para cima. Trabalhávamos juntos havia 10 anos e eu nunca soube que ele tivesse inimigos ou alguma desavença”, testemunha o radialista.

As primeiras informações desta manhã dão conta de que a Polícia Civil já teria uma linha de investigação. Ao longo do dia o Blog publicará novas informações sobre o caso.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá
Parauapebas

Tatuador executado com seis tiros e menor baleado no Liberdade I

O crime aconteceu pouco antes da meia noite de ontem e foi executado por um indivíduo que chegou em uma moto Fan, preta
Continua depois da publicidade

O crime aconteceu pouco antes da meia noite de ontem e foi executado por um indivíduo que chegou em uma moto Fan, preta O tatuador Wemerson Rodrigues de Albuquerque, 20 anos, foi executado com seis tiros de pistola por volta das 23h40 de ontem, sexta-feira (13), na casa em que morava, na Rua Tocantins, Bairro Liberdade I. Na mesma ocasião o adolescente Fabrício do Carmo Portilho Franco, de 17 anos, também foi ferido a bala, mas sobreviveu e foi removido ao Hospital Municipal, onde passou por cirurgia.

O motivo dos dois crimes ainda é desconhecido para a Polícia Civil. Até o início da tarde deste sábado (14), nenhum parente de Wemerson ou de Fabrício, havia se dirigido à 23ª Seccional Urbana para registrar Boletim de Ocorrência.

Segundo a investigadora Fátima Marques, que esteve no local do crime, o atirador chegou em uma moto Fan, preta, em companhia de uma mulher, deixou a acompanhante na rua e entrou na casa, pertencente a uma senhora conhecida como Neta, dona do imóvel, que aluga os quartos. Foi direto para o quarto de Wemerson e disparou contra o rapaz, que não tinha a perna esquerda, matando-o. Em seguida, ainda de arma em punho, entrou em outro cômodo onde estava o adolescente, atirando contra ele também. Em seguida, saiu e tomou rumo ignorado.

Fátima Marques afirma que no local foram encontradas nove capsulas e, ainda segundo ela, Wemerson já havia morado em Parauapebas, porém, após se meter em confusão, mudou-se para Canaã dos Carajás, de onde havia retornado recentemente.

Reportagem: Ronaldo Modesto