Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Jacundá

Em Jacundá, homem meteu a colher em briga de marido e mulher e acabou morto

Marinaldo Nascimento esqueceu o que ensina a sabedoria popular e tentou livrar uma mulher das agressões do marido. Foi esfaqueado pelo homem, que fugiu levando a mulher
Continua depois da publicidade

O ditado popular “em briga de marido e mulher ninguém mete a colher” parece sábio. Marinaldo da Luz Nascimento, 34 anos, teve a vida ceifada ao tentar acalmar os ânimos de um casal envolvido em uma discussão familiar. O homicídio aconteceu na noite de sábado, 22, no Bairro Boa Esperança. No Boletim de Ocorrência registrado por Mauro Francisco da Luz, irmão da vítima, consta que ele estava em um bar localizado na Rua Francisco Machado quando tentou defender uma mulher que sofria agressão verbal e física de seu companheiro.

Num determinado momento o homem, de identificação desconhecida, armou-se com uma faca peixeira e desferiu um golpe a altura do umbigo de Marinaldo. Uma testemunha que prestou depoimento na Delegacia de Polícia Civil relatou que o casal chegou ao bar por volta de 16h e durante todo o tempo discutia.

“Chegou um momento que o homem tentou acertar uma cadeira na cabeça da mulher, mas foi contido por outro cliente”, contou a testemunha que pediu para não ser identificada pela Reportagem. A vítima teria chegado ao bar para pagar uma conta que havia contraído horas antes. “Marinaldo chegou e percebeu a briga do casal. Ele tentou acalmar o homem, que saiu do bar, abriu o baú da moto e quando voltou estava com uma peixeira na mão”.

Golpeado, Marinaldo ainda conseguiu sair do estabelecimento e caiu agonizando no meio da rua por volta de 18h30 de sábado. Enquanto isso, o casal subiu em uma moto e desapareceu da cena do crime. Policiais militares estiveram no local e ao constatar a morte, acionaram a Polícia Civil. O corpo de Marinaldo foi encaminhado ao IML de Marabá, e posteriormente liberado para família.

Canaã dos Carajás

Acusado de estupro de vulnerável, Joel “Caveira” fugiu de Canaã

No início deste mês, ele se disse alvo de calúnias por perseguição política, após ter sido denunciado em redes sociais. A Polícia Civil, porém, constatou que era tudo verdade. A Justiça decretou a prisão dele
Continua depois da publicidade

Da primeira vez em que foi acusado de estupro de vulnerável, Joel Pereira da Rocha, 38 anos, mais conhecido como “Caveira”, conseguiu ser tão dissimulado a ponto de quase enganar a polícia; e se fazer de vítima para a Imprensa. Declarou, inclusive, a este Blog, no último dia 10, que estava sendo alvo de uma campanha de difamação motivada por perseguição e, no auge do cinismo, chegou até ameaçar levar os supostos caluniadores às barras da Justiça. A mentira porém, de pernas curtas, não o deixou ir muito longe.

Após receber mais denúncias contra Joel Caveira, o delegado de Polícia Civil Jorge Carneiro, que não havia acreditado muito na inocência dele, aprofundou as investigações e já identificou quatro vítimas do tarado, entre crianças e adolescentes.

“Após termos indícios suficientes de autoria e prova da materialidade, foi instaurado inquérito policial e, nesse caso concreto, confirmada a autoria do crime. Joel Pereira da Rocha, vulgo ‘Caveira’, teve sua prisão preventiva decretada pelo Poder Judiciário, após manifestação favorável do Ministério Público”, explicou a autoridade policial.

De acordo com o delegado, foram realizadas diligências com o intuito de localizar e prender o acusado. Contudo, foi constatado que ele não se encontra-se na cidade e ninguém sabe de seu paradeiro há vários dias.

Joel Pereira da Rocha é assessor parlamentar do vereador Walter Diniz (MDB), membro da Mesa Diretora da Câmara Municipal, e irmão de um conselheiro tutelar que preside a Associação de Moradora do Bairro Santa Vitória.

As primeira denúncias contra o assessor começaram a surgir ainda no início do mês. Procurado pela Reportagem do Blog, “Caveira” disse que tudo não passava de boato e que estava sendo alvo de perseguição política.

Segundo o delegado, as vítimas vulneráveis de crimes sexuais são amparadas por uma rede proteção que inclui acompanhamento por uma equipe multidisciplinar composta por psicólogos, assistentes sociais e acompanhamento médico.

“Caveira” já é considerado foragido da Justiça e o delegado Carneiro pede a ajuda da população para que possa prendê-lo. “As pessoas que souberem informações do paradeiro do acusado podem ligar para o disque denúncia no telefone 181. Destaco que esse canal mantém sigilo total e anonimato da pessoa. Ou, ainda, podem me procurar diretamente na delegacia de Canaã dos Carajás e também assegurado o sigilo e anonimato”.

O delegado ressalta ainda que quem estiver dando cobertura ao acusado também pode responder judicialmente. “A polícia conta com o apoio das pessoas de bem e com aquelas que querem ver a justiça ser feita para chegar ao paradeiro do criminoso. Solicita que possíveis novas vítimas compareçam a unidade policial para prestarem depoimento e alerta que dar ‘cobertura ou prestar auxílio’, também é crime”, adverte o policial.

Novo Repartimento

Triplo homicídio impõe clima de velório ao final de cavalgada em Novo Repartimento

Dupla atrapalha comemoração, mata comerciante, vaqueiro e sua namorada na bala
Continua depois da publicidade

Um casal e uma terceira vítima foram assassinados na noite de ontem, 23, na cidade de Novo Repartimento, sudeste do Pará. O triplo homicídio aconteceu por volta de 20h30 após a realização de uma cavalgada quando dois homens em uma moto praticaram o crime. O triplo homicídio aconteceu no momento em que dezenas de pessoas participavam da festa de encerramento da cavalgada realizada pela organização da Feira de Exposição e Agropecuária de Novo Repartimento, que acontece neste próximo final de semana. Segundo relatos de brincantes, em uma das baias no parque de exposição da cidade, um grupo comemorava o evento quando foi surpreendido por dois homens em uma moto.

Tão logo o veículo parou e permaneceu com o motor ligado, o homem da garupa sacou uma pistola e atirou contra o comerciante Pedro Adolfo Santana Filho, o “Pedrinho da Terra Norte”. O vaqueiro Vilson Veras da Rocha, conhecido por Neguinho, trabalhador na fazenda da vítima tentou defender Pedrinho.

Vilson se agarrou com o atirador e dois rolaram pelo chão, mas o comparsa que estava na moto sacou outra arma e atirou duas vezes contra o vaqueiro. Nesse momento, a mulher de Vilson, que presenciou a cena, também tentou intervir na ação criminosa, porém, foi alvejada com tiros.

Identificada como Dalvina, ela morreu no local, assim como seu marido. Pedro Filho ainda foi encaminhado ao Hospital Municipal de Novo Repartimento, mas morreu antes de receber atendimento médico. Após o crime, os dois homens fugiram.

Uma guarnição da 23ª Companhia Independente da Polícia Militar esteve no local dos assassinatos. Segundo o major Magno, responsável pelo batalhão, a polícia foi chamada para apurar os fatos, mas até o momento não se sabe o motivo e nem a identidade do assassino. A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o triplo homicídio.

Redenção

Agrônomo perde a luta contra as drogas e, por fim, perde a vida em Redenção

José Antônio Júnior tentou deixar o vício, mas recaiu, chegou a ser preso e agora teve a vida ceifada, provavelmente por dívida com o tráfico
Continua depois da publicidade

Foi registrado durante o final de semana em Redenção mais um homicídio cuja vítima é José Antônio Moreira Júnior, 36 anos. De acordo com a polícia, a guarnição da PM tomou conhecimento de um óbito na manhã do último domingo (23) e o corpo foi encontrado na Rua da Prata, no Setor Morada da Paz. A vítima foi alvejada por quatro disparos de arma de fogo. José Antônio era usuário de drogas ele chegou a ser acolhido pela Fazenda da Esperança, para fazer tratamento, porém recaiu e voltou a usar os entorpecentes. Uma equipe de uma funerária local removeu o corpo, para os procedimentos necessários.

Ainda de acordo com a polícia, José Antônio, que já tinha passagem pelo presidio de Redenção, era engenheiro agrônomo, porém se perdeu no mundo das drogas. Até a manhã desta segunda-feira (24) a Polícia Civil não tinha pista dos criminosos, porém continua investigando, a fim de elucidar mais um homicídio na região.

A polícia não descarta que a motivação esteja ligada ao trafico de drogas. Somente em Redenção, de janeiro até agora foram contabilizados 66 homicídios, um índice que coloca a cidade como a cidade mais violenta do sul Pará.

Redenção

Polícia recupera carro roubado e prende um dos assaltantes

Grupo de assaltantes teria vindo do Tocantins para praticar assalto em Redenção
Continua depois da publicidade

A Polícia Civil de Redenção, sob o comando do delegado Ricard Ribeiro e do superintendente Luciano Cunha, realizaram na tarde da última sexta-feira (21), a operação “Seja bem vindo, forasteiro” que tinha como objetivo prender uma quadrilha de assaltantes oriundos de Araguaína, Tocantins. Segundo a polícia, o bando veio da cidade tocantina para praticar assalto em Redenção.

De acordo com o delegado Ricard Ribeiro, na tarde da última quinta-feira (20), três assaltantes sob posse de arma de fogo, teriam entrado em um estabelecimento comercial na Avenida Thompson Filho e de lá subtraíram dinheiro, caixa de som e um veículo de um dos funcionários da empresa.

Após investigação, a Polícia Civil conseguiu localizar na tarde de sexta-feira (21) o veículo, uma Saveiro de cor branco que havia sido levado pelos assaltantes. O carro foi encontrado em uma fazenda de nome “Raio de Sol”, no Distrito Cachamorra, a 25 km de Redenção.

No local, a polícia prendeu um dos assaltantes, que foi identificado como Jheison Azevedo Jacoski, mais conhecido no Tocantins por “Nervoso”.

Segundo a polícia, Jheison é considerado um elemento de alta periculosidade, já tendo cumprido pena pelos crimes de roubo a mão armada e homicídio no estado vizinho.

O veículo, juntamente com o jovem, foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Redenção. A Saveiro já foi entregue ao seu proprietário e o acusado foi encaminhado, no sábado (22), para o presídio, onde se encontra à disposição da justiça.

Em entrevista, o delegado Ricard Ribeiro enalteceu o trabalho da equipe de policiais que se empenharam na operação realizada. “Quero aproveitar a oportunidade e parabenizar toda a Polícia Civil de Redenção, em especial a todos que ajudaram nessa missão, incluindo delegados, investigadores, escrivães, papiloscopistas e administrativos. Mais uma vez mostramos nossa competência” concluiu o delegado.

Parauapebas

Identificado corpo desovado no Rio Parauapebas

Trata-se de Rosivania Torquato Xavier, que estava em litígio com o ex-marido por causa de divisão de bens
Continua depois da publicidade

Foi identificado como de Rosivania Torquato Xavier, de 29 anos, o corpo resgatado pelos Bombeiros na tarde de segunda-feira (17), do Rio Parauapebas, sob a ponte do City Park, conforme  noticiado pelo Blog. Segundo informação do delegado Felipe Oliveira, a mulher havia registrado Boletim de Ocorrência na 20ª Seccional de Polícia Civil, relatando que o marido queria tomar a casa dela, uma vez que o casal estava separado. O homem, cujo nome não foi revelado também havia procurado a delegacia par queixar-se dela em razão da desavença na partilha dos bens.

Familiares de Rosivania, que chegaram ontem (20), a Parauapebas, oriundos de Colinas (MA), estiveram na Delegacia de Polícia Civil e no Instituto Médico Legal onde reconheceram o corpo dela que, depois da necropsia foi trasladado para a cidade natal.

Quanto a comentários de que a mulher havia sido jogada no rio ainda com vida, o delegado disse que só o laudo do IML vai dar uma resposta. No momento, a maior preocupação dele é localizar os dois filhos de Rosivania, um menino de 11 e uma menina de 9 anos, que estão desaparecidos desde o dia do crime.

O corpo de Rosivania foi encontrado envolto em uma lona azul, dos pés à cabeça e com vários tijolos e pedras amarrados para que não boiasse. Na avaliação dos bombeiros, tudo leva a crer que o corpo foi lançado da ponte juntamente com as pedras para que ficasse submerso e não fosse encontrado. Porém, como o rio está seco e a lona era bem clara, alguém percebeu e avisou a polícia.

 

Redenção

Duplo homicídio em chácara com 100 galos de rinha em Redenção

Motivação e autores do crime ainda são mistério para a polícia. No local havia galos avaliados em até R$ 20 mil
Continua depois da publicidade

Foi registrado na manhã desta quarta-feira (19) um duplo homicídio em Redenção. As vítimas eram Adriano Rodrigues Dias, de 43 anos de idade, e Antônio Cleiton Silva, 41.

De acordo com a polícia, o crime aconteceu por volta das 6h30 da manhã desta quarta-feira (19), em um assentamento denominado “Casulo”. Relatos dão conta que dois homens teriam chegado a uma chácara que fica 7 km distante do centro da cidade, de propriedade de Adriano Dias, e efetuaram os disparos nas vítimas, que morreram no local.

Ainda de acordo com a polícia, Antônio e Adriano teriam sido assassinados na frente de uma criança de 8 anos de idade, que seria filha de Adriano.

A polícia ainda não sabe o que motivou o duplo homicídio, mas segue investigando para descobrir a motivação e chegar aos assassinos.

Também foram encontrados pela Polícia Civil, no interior da chácara, cerca de 100 galos que seriam usados para rinha (briga de aves), que é proibida no Brasil desde 1998. A polícia descobriu que as rinhas estariam ocorrendo de forma periódica e clandestina na chácara onde ocorreu o homicídio. A polícia informou, também à reportagem do Blog, que na chácara havia galos avaliados em 20 mil reais.

Os investigadores estão tentando elucidar o duplo homicídio e descobrir se eles têm relação com a rinha de galo que ocorria no local.

Redenção

Festa entre amigos deixa saldo de esfaqueamento e moto incendiada

Populares dizem que o veículo da vítima só foi queimado depois que o dono da casa foi esfaqueado por um homem de identidade ainda desconhecida
Continua depois da publicidade

Uma festa entre amigos terminou em confusão na Rua São Pedro, setor São José, em Redenção. Segundo moradores do bairro, na noite de segunda-feira (18), cerca de 20 pessoas, entre homens e mulheres, se reuniram na residência de Leandro da Silva para comemorar o aniversário de um dos amigos.

Gleice Alencar disse à reportagem do Blog que durante o período noturno, ninguém conseguiu dormir devido à baderna que chegou a incomodar muitos moradores. “Nossa, Senhora! Aqui foi difícil passar a noite, o barulho do som só parou depois que houve esse esfaqueamento”, relatou a dona de casa.

De acordo com informações dos moradores, era por volta das 4 horas da madrugada de terça-feira (18), quando um dos convidados, que não teve o nome revelado, começou a gritar. Em seguida, pegou uma faca e esfaqueou o dono da residência, Leandro da Silva. Após o esfaqueamento, o acusado saiu correndo para não ser linchado e Leandro foi conduzido às pressas para o Hospital Municipal Iraci, onde passou por atendimento médico.

Segundo testemunhas, o agressor fugiu e deixou para trás uma motocicleta Honda 125 de cor preta e placa NSR 8774, de Redenção. O veículo foi incendiado por outros amigos de Leandro, que estavam sobe efeito de álcool.

A motocicleta ficou completamente destruída. Até à tarde desta terça-feira, ninguém havia procurado a Delegacia de Polícia Civil para registrar o ocorrido.