Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia

Fuga anunciada de 15 detentos no CRAMA mostra fragilidade na casa penal, em Marabá

Bandidos aproveitaram que Grupamento Tático da PM estava envolvido na segurança do jogo entre Águia e Remo para fugir por um túnel escavado em uma das celas
Continua depois da publicidade

Ao ser recapturo no dia 5 de dezembro do ano passado, o detento Cayo Adriano da Rocha Silva, 24 anos, fez uma declaração inusitada à Imprensa de Marabá de forma redundante: “Vai ter outra inédita de novo”. Para aqueles que estavam ali presentes na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Marabá, ficou claro que foi um aviso de que mais fuga poderia ocorrer no Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (CRAMA).

Passados exatamente dois meses, a “profecia” de Cayo se cumpriu. Na tarde deste domingo, 4, enquanto os melhores homens do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) faziam a segurança do jogo entre Águia e Clube do Remo, no Estádio Zinho Oliveira, bem longe da prisão, 15 detentos escaparam por um túnel que escavaram durante alguns dias.

Segundo informações de um policial que está na operação de recuperação dos fugitivos, os presos já haviam escavado o túnel de 7 metros de comprimento e 70 centímetro de diâmetro, aproximadamente, no bloco B e aguardavam o início da partida no estádio Zinho Oliveira para fugir e atrasar ainda mais a chegada da polícia.

Eles alcançaram a área de banho de sol e de lá para chegar do lado de fora da penitenciária foi muito fácil. “Conseguimos prender seis, mas ainda há nove na mata. Eles oferecem risco à comunidade, claro, e a gente vai virar a noite, se for preciso, para tentar prendê-los”, disse o militar.

O policial também informou que no estádio Zinho Oliveira havia cerca de 30 policiais militares, sendo 12 do Tático, Cavalaria, entre outros. Com a fuga no CRAMA, o Comando do 4º Batalhão de Polícia Militar acionou a VTR Tático 1 e VTR Tático 3.

Por Ulisses Pompeu – correspondente em Marabá

Sistema Prisional

Agentes da Susipe encontram túnel cavado por presos na Carceragem do Rio Verde, em Parauapebas

Durante a vistoria na cela, os agentes desconfiaram da quantidade de terra no local e após varredura, o túnel foi localizado.
Continua depois da publicidade

Na tarde desta terça-feira (05/12), presos do Sistema Carcerário de Parauapebas planejavam fugir da Carceragem do bairro Rio Verde através de um túnel cavado por eles, mas foram impedidos pelos agentes do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (SUSIPE). O túnel cavado pelos presos que ocupavam a cela 03 do Sistema prisional foi descoberto durante uma vistoria de rotina dentro da casa penal.

Durante a vistoria na cela, os agentes desconfiaram da quantidade de terra no local e após varredura, o túnel foi localizado. A direção do Sistema Carcerário acionou o Grupamento Tático Operacional (GTO) da polícia militar, que garantiu a segurança dos agentes. Os militares deram suporte realizando a retirada dos presos da cela e dando o encaminhamento os procedimentos cabíveis. As informações são da Susipe.

Polícia

Polícia acha túnel que levaria a cofre de banco para roubar R$ 1 bi em São Paulo

Segundo a polícia, após a prisão, os chefes do bando afirmaram que pretendiam fazer "o maior roubo a banco do mundo"
Continua depois da publicidade

A Polícia Civil descobriu na noite desta segunda (2) um túnel de 600 metros escavado para chegar ao cofre da base de distribuição do Banco do Brasil em São Paulo, na Chácara Santo Antônio, em Santo Amaro (zona sul). Dezesseis suspeitos foram presos.

Segundo a polícia, após a prisão, os chefes do bando afirmaram que pretendiam fazer “o maior roubo a banco do mundo”. “Eles tinham o objetivo de roubar R$ 1 bilhão”, disse o delegado Fábio Pinheiro Lopes, da Delegacia de Roubo a Bancos do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais).

A polícia afirma que o túnel partia da casa de número 57 da rua Antônio Buso, alugada no dia 10 de junho pelos criminosos. Desde então, eles trabalhavam na escavação do túnel, que tinha em torno de 1,5 m de altura.

“Eles estavam sendo monitorados havia dois meses. Terminaram a escavação na quinta-feira da semana passada e pretendiam realizar o assalto em breve. Decidimos agir em um dia tranquilo para evitar o roubo”, afirmou Lopes.

O grupo foi preso na avenida Massao Watanabe, no Jardim Peri (zona norte), em uma casa onde, segundo a polícia, funcionava a logística do crime.

A polícia procura mais quatro bandidos, que seriam os peões da obra.

A reportagem entrou na casa da rua Antônio Buso e constatou que os criminosos mantinham uma estrutura para dormir no imóvel durante a escavação do túnel. Em uma pequena sala, eles montaram uma cozinha, onde havia uma geladeira e comidas como frutas, bolachas de vários tipos, paçocas, água e Gatorade. No imóvel havia também uma TV de 32 polegadas e vários colchões. Em um dos cômodos, havia 50 botas de cano longo, luvas, maçaricos, joelheiras, macacões e roupas para a escavação. Eles também instalaram duas câmeras, que monitoravam o movimento da rua. Os vizinhos disseram que eles não conversavam muito.

O maior roubo a banco do país foi em 2005 –foram levados R$ 164,8 milhões (em valores da época) da sede do BC (Banco Central) em Fortaleza.

Por Tatiana Cavalcanti – Folha