Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Notícias

Engajado na luta pela criação do Carajás, governador Siqueira Campos vem à Parauapebas no próximo dia 26

Continua depois da publicidade

Siqueira Campos Laércio de Castro, o mais competente repórter de rádio de Parauapebas, informa em seu Blog que o governador do Estado do Tocantins, José Wilson Siqueira Campos (foto), do PSDB, estará em Parauapebas no dia 26 de março para um evento referente a criação do Estado de Carajás que realizar-se-á no auditório da Prefeitura de Parauapebas, no Morro dos Ventos, às 10 horas da manhã.

Laércio afirma que a informação foi repassada por Raimundo Cabeludo (PV), amigo pessoal do governador e vice-presidente municipal da Comissão Brandão. Participam ainda da comitiva do governador tocantinense, senadores daquele estado, deputados federais pelo Pará, prefeitos, vereadores entre outras autoridades.

Comentários ( 8 )

  1. Boa noite Zé Dudu,

    Grande perda de tempo e dinheiro. Não existe a mínima possibilidade do Carajás sair nos próximos 12 anos. A representação política da região só não é zero porque existe o deputado Giovani Queiroz, voz solitária em defesa da questão no Congresso. Os demais Federais ou são contra ou são falsos. Outros da região que teoricamente são a favor foram cooptados com cargos ou no Governo do Estado ou no Governo Federal. Portanto, esse assunto agora é mais uma encenação pré-eleitoral tentando enganar o eleitor e fazê-lo de bobo. Todas essas figuras públicas que aparecerão nesse evento têm outros objetivos que não são o Carajás. Por exemplo: Siqueira Campos só tem como objetivo avaliar se Raimundo Cabeludo tem alguma chance como candidato a prefeito – como ele afirma ao Governado do Tocantins. Sairá da reunião tão decepcionado quanto qualquer um que espera o Carajás. Verá que a chance do Raimundo Cabeludo é nula, ou melhor, igual a zero. Bom para Siqueira Campos porque assim terá bases concretas para dar um chega prá lá nas pretensões de Cabeludo de que o Governador financie sua campanha. Os demais políticos da reunião e o prefeito estarão na reunião curtindo um pós carnaval, ou seja, um EMBROMATION. Como já disse em outra oportunidade, acredito que o povo de Parauapebas precisa acordar: Não pode eleger nem um candidato do Prefeito e nem um candidato do Governador. Pois os dois são o MAL contra o MAL para Parauapebas. Precisa de um candidato SEM RABO PRESO, INDEPENDENTE. Fica a dica #walmirdaintegral. Abraços,

    Welney Lopes (direto de Buenos Aires, AR)

  2. Que benfeitoria, será um um grande exemplo para a sociedade, esse evento se for bem benéfico para a sociedade, nada melhor para falar sobre tal assunto do que o grande e experiente criador do estado do Tocantins.

    Por outro lado será uma vergonha para os políticos da região, parabéns para a comissão lutadora desse movimento por fazer essa grande escolha.

    Homem valente, corajoso e bem conhecedor do assunto. Será uma ato muito interessante apesar de reforçar grandes lideranças da região vai apimentar mais nossa sociedade para a necessidade de criação desse estado. Muitos já vieram, tentaram mais só enganaram a nossa população tentando se promover, apesar da importância do debate do Siqueira, não podemos descartar que ele não decidirá se vai ser ou não criado, vai apenas citar a importância de termos esse Estado. Não Olhemos pelo lado ruim pois assim nada irá pra frente, que decidirá a nossa melhoria o nosso futuro, somo nós todos.

  3. SIQUEIRA CAMPOS é o maior político brasileiro, conhecedor com fatos e dados sobre emancipações. Foi o grande BALUARTE da criação do Estado do Tocantins. Que o respeitemos como tal e tiremos algum proveito sobre sua palestra e não o façamos perder seu precioso tempo.
    É imprescindível que para uma causa como a criação do ESTADO DE CARAJÁS, os movimentos PRÓS aconteçam nos 365 dias do ano e não somente nos períodos eleitorais. Que os nossos políticos a nível de Estado (regional) e Municípios envolvidos tomem vergonha na cara e se decidam se são realmente a favor ou contra, desçam do muro e encarem a causa como deve ser encarada. Com isso, nós que lutamos pela criação do Município e queremos o nosso Estado de Carajás, não deixaremos espaço para pré candidato (???) récem chegado a cidade e esteja usando a bandeira de criação do Estado de Carajás para promoção e proveito próprio.


  4. Welney Lopes:

    Marcio Dalferth:

    Me admiro muito, de certos Entulhos intragável, indesejados e incontestável da maldade que são em ser humano se manifestarem de certa matéria de atitudes desconhecidas, nós da Comissão Brandão temos 25 anos de luta nesse movimento buscando alcançar o nosso alvo 31 de março de 1986 um grupo de pessoas da região se reuniram em Marabá com José Silva brandão, José Soares, Adão lucas e Eu para discutirmos o que era apenas um início de um sonho hoje depois de tantos anos vem alguém se colocar de tal forma escrupuloso e dar sua opinião que nunca se quer ajudou moveu uma palha, dar opinião você é tanto Babaca de baixo padrão seu Welwey que aqui só causou desgraça e má imagem. Trate de respeitar que está na luta a tantos anos você é maldoso até como ser Humano em querer desarmonizar , tumultuar um trabalho que está sendo construído com tantas dificuldades e sofrimento. Você já é odiado por tantos, ainda quer aumentar mais.

    Quanto a questão de Siqueira Campos, você lavou sua boca hoje pra falar desse Cidadão? que já é nosso companheira desde de junho de 2009 onde eu pessoalmente estive com ele por diversas vezes para orientações por ele repassado. sempre foi um grande cidadão nunca se curvou de orientar auxiliar e ajudar a comissão Brandão pró Carajás em outubro de 2009 Siqueira desejava vir a Parauapebas, em março de 2010 novamente, mas preferimos esperar a oportunidade melhor e mantê-lo somente com nosso orientador geral. Siqueira Campos fez um pedido na campanha de 2010 que em 2011 ele pretendia vir para auxiliar o projeto Carajás diretamente e ainda mais respaldar seu povo tocantinenses que vivem na região sul do pará que hoje são mais de 100 mil cidadãos. além do mais Raimundo Cabeludo se propôs sempre auxiliar-nos em tudo que envolve o estado de Carajás desde que seja algo fundamentado, verdadeiro e oficial. além disso tem grande influência nos estado de Tocantins, Maranhão e outros.

    E você o que pode mostrar além da personalidade indesejada que você é? maldoso até no ar que respira; devia nos respeitar extremamente e procurar o seu lugar, você não é bem vindo aqui pq deixou muitas sequelas. quem defendo o estado de Carajás e luta por ele está se sentindo ofendido, apesar que você significa o nada para nós; mas usou do blog de um grande cidadão zé dudu.

    Pense direito antes de falar, nossa campanha é permanente a 25 anos. Siqueira levou uns 30 anos. sendo que Tocantins iniciou luta em 1926 no município de Porto Nacional quando um juiz daquela comarca decretou estado paralelo por 50 anos e siqueira lutou muito, agora vem você “O” dizer que vai levar mais 12 anos, e se a 25 anos se não tivéssemos iniciado? essa luta estaria nos pé que está hoje? o grande senador “Leomar Quintanillha” em 2007 apresentou projeto no senado que tramita na Câmara Federal, vou relatar mais em 89 Asdrubal Bentes apresentou o projeto 36, em 1992 Geovanni Queiroz apresentou o projeto 159/B, em 2002 Senador José Arruda apresentou outro projeto 1217 no Senado. agora em 2007 você sabia disso “O” o que você já fez como Secretário de finanças de Parauapebas a muito anos, a não ser lesar muitos que a aqui moram financeiramente e moralmente muitos que aqui ainda vivem.

  5. “Grande” Márcio Transamazônica,

    “Palavras não sei dizer
    Meu lugar é no barro e na lama”
    (Letra do Jingle da Nissan Frontier no NatGeo, canal 51 da Sky).

    Para as pessoas mais novas que ainda não sabem, Márcio Transamazônica é o apelido desse rapaz no Governo do estado e nos meios políticos da capital. Dizem que é porque se parece com a rodovia: comprida e cheia de lama.

    Mas, deixando as estórias políticas de lado e voltando ao foco que é a dificuldade da criação do futuro estado do Carajás, todos os comentários feitos anteriormente somente vieram reforçar o que afirmei inicialmente, principalmente o comentário, nada compreensível, daquele que se diz presidente de uma comissão responsável por fomentar tal propósito.

    Tentando ler ou entender os comentários do dito cujo rapaz neste “post” fica cristalino, de imediato, que ele é um analfabeto funcional, segundo as definições vigentes.

    Já os interesses dele na Comissão que tomou posse, não são muito cristalinos para os menos desavisados.
    Eis as palavras do rapaz em sua posse:

    “Márcio Dalferth destacou a necessidade de essas comissões agregarem parceiros potenciais imbuídos nesta bandeira para colaborar com recursos financeiros, visando cobertura de despesas com material informativo, como adesivos, bandeiras, mapas, viagens e outras”. ( http://www.procarajas.blogspot.com/ em 19/02/2011)
    Fica claro qual o real objetivo e preocupação do mesmo. Ludibriar parceiros com dinheiro para que façam doações para viagens e outras coisas mais. Ele vive disso há muitos anos, parece que desde a fundação da comissão, há cerca de 25 anos. Se o estado de Carajás sair, perde a “teta”. Ainda bem que, com 25 anos, já tem tempo para se aposentar, daí a coisa pode andar.
    Parece que meu comentário irritou muito o “rapazinho”, que pensou que, com isto, poderia perder a “boquinha” e o meio de subsistência. Isso pode até acontecer, mas será somente porque “os parceiros com recursos financeiros” que ele tanto persegue perceberão que estão sendo lesados em suas intenções.
    Outro fato importante é que egocentrismo não cabe nesse trabalho, que deve ser feito por uma grande equipe. O “presidente” não tem noção de trabalho em equipe e seu ego é desmedido, beirando a fanfarronice.
    A emancipação de Parauapebas foi conduzida por vários cidadãos do então distrito de Marabá. Não pode ser esquecida a atuação importantíssima de pessoas como Francisco Brito, José da papelaria, Valdir Flausino, Faisal Salmen, Almir da Transrodovia, Ademir Paulo Dan (Juca), Odilon Sanção, Asdrúbal Bentes, Dr. Bento e vários outros.
    Entretanto, no post #28 acima, o presunçoso escreve:
    “…quando em 87 eu Márcio mobilizei, organizei a emancipação de Parauapebas na sua íntegra não pensei no que hoje eu vejo…”.
    A participação dele na época é a mesma de hoje quando o assunto é o Carajás: pastinha debaixo do braço e uma romaria de medicância junto ao empresariado local, ou usando suas palavras do discurso de posse, aos “parceiros com recursos financeiros”.
    Não sei como anda a condução do processo nos demais municípios, mas se a condução em Parauapebas continuar assim, e se em outros municípios forem parecidas, não há como vislumbrar perspectivas para a emancipação do Carajás.
    Dos “envolvidos” com o Carajás aí, o que se vê são duas situações:
    1. pessoas com interesses puramente político-eleitoreiros falando do Carajás para os eleitores e os enganando sobre seus reais interesses;
    2. pessoas como o Márcio Transamazônica falando do Carajás para empresários e “pessoas com recursos financeiros”, enganado-os sobre seus reais interesses que são viver às custas da estrutura montada em função da emancipação do Carajás.

    Portanto, a situação vivida é perniciosa para o projeto.
    93,2% das pessoas que fizeram comentários acima não gostam de mim. E considero isto muito bom sinal. Mas, mesmo assim, muitas são sérias e fizeram comentários pertinentes e, essas sabem que, se não mudar os rumos dessa história, o final será dar com os “burros n’água”.
    O pior será o desperdício de algumas iniciativas de gente realmente séria, como o árduo trabalho do deputado Giovanni Queiroz e o excelente estudo: “Assimetrias Regionais no Brasil: Fundamentos para Criação do Estado do Carajás”, de autoria do economista Célio Costa, excelente e comprometido profissional daqui de Goiânia.
    Esgotei minha discussão deste assunto no blog. Interessados em continuar ou buscar o bom debate podem contatar-me pelo e-mail carajasdeverdade@hotmail.com que terei o maior prazer em discutir idéias.
    PS: Torço para que asfaltem logo toda a Transamazônica. Sem lama será melhor!
    Welney Lopes

Deixe uma resposta