Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Polícia ainda não tem pistas de despachante desaparecido em Canaã (atualizada)

Francisco das Chagas saiu de Parauapebas para Canaã a noite de sábado (5), onde, supostamente, um cliente o aguardava
Continua depois da publicidade

Segundo o delegado plantonista da Policia Civil, as chances de que Francisco das Chagas Bezerra Gomes, de 44 anos, seja encontrado ainda com vida, “são mínimas”. O despachante está desaparecido desde a noite do último sábado (5), quando saiu do município de Parauapebas onde mora com a família, com destino a Canaã dos Carajás, após receber uma ligação de um suposto cliente que o aguardava. Algumas horas depois, a mulher de Francisco recebeu uma ligação informando que a camionete dele estava abandonada na entrada de Canaã.

“Na noite de sábado, por volta das 20h, a Polícia Civil tomou conhecimento, pela Polícia Militar, de que uma camionete foi encontrada abandonada em um bairro na entrada da cidade. Lá constatamos que o carro estava com a chave na ignição e vários objetos de Chagas revirados”, contou o delegado Thiago Carneiro, que atendeu à ocorrência.

Segundo ele, o último contato que Francisco das Chagas fez aconteceu no sábado, quando, aparentemente, estaria em Canaã. Depois disso, ele não foi mais visto. “Já decorreram mais de três dias e até o presente momento a gente não conseguiu localizar o desaparecido. A gente sempre acredita [que vai encontrar vivo], mas a maior probabilidade é de encontrar ele sem vida, pelo decorrer do tempo”, destacou Carneiro.

Por telefone, Francilene Pereira Pinheiro Gomes, com quem Francisco é casado há 16 anos, disse não saber o que pode ter ocorrido, mas afirmou que tem esperança de encontrar o marido vivo. Ela informou não saber quem foi a pessoa quem ligou para que o despachante se deslocasse até Canaã e disse que essa não é a primeira vez que o companheiro fica sem dar notícias. “Ele não me falou quem ligou, só sei que ele foi fazer um serviço em Canaã, mas que voltaria no mesmo dia e não voltou. Ele já sumiu outras vezes, mas sempre voltou pra casa. Eu acredito que ele está bem, com vida”.

No local onde a camionete foi abandonada não há câmeras de segurança. O veículo foi encontrado sem marcas de violência. Ainda segundo Thiago Carneiro, o caso pode ter sido premeditado. “Infelizmente, não tinha câmera de segurança, o veículo foi abandonado em um local ermo, um local estudado justamente para evitar flagrantes”, deduz a autoridade.

Veja também:  Operação da Corregedoria em Tucumã e Ourilândia prende até delegado

“O que nos soa estranho é que houve mais dois desaparecimentos em Parauapebas e estamos apurando para saber se há alguma relação entre os três casos. Estamos coletando algumas informações da vida pregressa do Francisco. Sabemos que ele trabalhava como despachante e estamos estudando a vida dele em si e a relação negocial que ele tinha com várias pessoas”, relata o policial.

O leque de investigação, ainda de acordo com Thiago Carneiro, é grande, pois são várias possibilidades. Ele afirmou que, agora, vais afunilar as informações para saber o que motivou esse desaparecimento. “O Boletim de Ocorrência foi registrado pela esposa de Francisco. Ela relatou muita coisa que pode ter ocorrido, mas a investigação está apenas iniciando. A gente vai apurar todos os fatos que os familiares estão relatando. Na camionete não tinha sinal de sangue, não tinha nada. São várias linhas a seguir, mas vamos manter o sigilo para não prejudicar as investigações”, concluiu o delegado.

Quem souber do paradeiro ou tiver visto Francisco das Chagas de sábado até o momento, pode ligar para (94) 98809-4609 ou para (94) 99162-6698.

Atualização:

Um corpo do sexo masculino foi encontrado no início da noite desta terça-feira na VS-47, depois da ponte do rio Arara, à direita, a cerca de 1 km da pista em uma estrada de terra na Zona Rural do município de Canaã dos Carajás. O corpo apresentava características de execução. Levado ao IML de Parauapebas, a família reconheceu o corpo como sendo do despachante Francisco. O delegado Thiago, de Canaã dos Carajás, está investigando o caso, mas não tem ainda nenhum suspeito de ter matado Francisco.

Seja o primeiro a escrever um comentário

Deixe uma resposta