Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia

Rapaz de 20 anos executado com dois tiros na cabeça no Bela Vista

A Polícia Civil suspeita de disputa por pontos de venda de drogas, mas, no local do crime e entre a família do jovem, impera a lei do silêncio
Continua depois da publicidade

O jovem Weslen Emysterdan Costa Vieira, 20 anos, natural de Buriticupu (MA), foi executado com dois tiros na cabeça, por volta das 21h40, de segunda-feira (12). O crime aconteceu quando ele caminhava pela rua Carlos Gomes, no Bairro Bela Vista, empurrando uma motocicleta. Um desconhecido se aproximou e disparou dois tiros contra a cabeça do rapaz, que caiu, já morto, por cima do veículo. Segundo a Polícia Civil, há suspeitas de que ele estivesse envolvido com tráfico de entorpecentes, mas, tanto no local do crime, onde várias pessoas testemunharam o assassinato, quanto entre a família de Weslen impera a lei do silêncio. O corpo foi necropsiado no IML de Parauapebas e liberado aos familiares para sepultamento.

Vieira, que empurrava a moto Yamaha/YBR 125, preta, placa JVR- 5329, Parauapebas/PA, parou na esquina da Rua Aurélio Dias, já próximo da Escola Irmã Laura, quando parou para falar com um conhecido. Em seguida foi surpreendido pelo assassino, que chegou sem dizer nada, sacou a arma e atirou para matar.

De plantão na 23ª Seccional Urbana de Polícia Civil, o delegado Fabrício Andrade e o investigador Humberto Rouxinol levantaram informações e trabalham com a hipótese de que Weslem Costa foi vítima de disputa por pontos de venda de drogas.

Veja também:  Jovem foi degolado e teve o coração arrancado em Parauapebas

Porém, nem a família nem as testemunhas colaboram com as investigações: ninguém sabe de nada, ninguém viu nada, ninguém fala nada. “As pessoas têm medo de falar, talvez por medo. Mas, se alguém sabe quem foi o autor, solicitamos que ligue para o número 181 e denuncie anonimamente. O sigilo é garantindo e a pessoa estará colaborando com as investigações”, apela o delegado Fabrício. (Caetano Silva)

Deixe uma resposta