Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Maio roxo

Saúde: Maio Roxo alerta para as doenças inflamatórias intestinais

Sobre o assunto, o Blog entrevistou o Dr. Rômulo Maia, especialista nessas patologias há mais de 25 anos
Continua depois da publicidade

Após aderir ao Outubro Rosa e ao Novembro Azul, em campanhas que alertam, respectivamente, para o câncer do colo do útero e para o câncer da próstata, o Brasil participa este ano do Maio Roxo. O objetivo é conscientizar a população sobre as doenças inflamatórias intestinais, que incluem a Doença de Crohn e a retocolite ulcerativa. O ápice da campanha ocorre hoje (19), quando é lembrado o Dia Mundial da Doença Inflamatória Intestinal. A estimativa dos organizadores do Maio Roxo é de que, no mundo todo, 5 milhões de pessoas sofram dessas patologias.

Diversos países, em pelo menos quatro continentes, entre eles, a Argentina, Austrália, o Canadá, Israel, o Japão, a Nova Zelândia, os Estados Unidos e 28 nações europeias, devem promover ações para marcar a data.

No Brasil, a Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Chron propõe ampliar a conscientização e melhoria na qualidade de vida dos pacientes por meio de caminhadas e da iluminação de monumentos como o Elevador Lacerda, em Salvador (BA); o Cristo Luz, em Balneário Camboriú (SC); e a Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre (RS).

A Doença de Crohn e a retocolite ulcerativa afetam diretamente o sistema digestivo e fazem com que o tecido intestinal se torne inflamado, provocando feridas e sangramentos facilmente. Ambas as doenças, segundo os organizadores do Maio Roxo, causam impacto tremendo no bem-estar físico e emocional do paciente.

Para informar mais aos internautas, o Blog do Zedudu entrevistou o médico Rômulo Maia, com mais de 25 anos de experiência em Colonoscopia, Retossigmoidoscopia, Endoscopia Digestiva e Ultrassom Abdominal Total.

Blog – Dr. Rômulo, tanto a Doença de Crohn quanto a retocolite ulcerativa podem levar à morte?    

Dr. Rômulo Maia – Nos casos mais graves, sim. Principalmente em pacientes que já carregam outras patologias ambas podem levar à morte. A primeira coisa, e mais importante, é fazer uma anamnese bem feita e um exame físico. Depois disso é indicado fazer uma colonoscopia e uma biópsia para, então, ter um diagnóstico completo: se realmente é uma retocolite ou uma Doença de Crohn, a fim de para fazer o tratamento correto, pois, os tratamentos dessas duas doenças são diferentes.

BlogInstaladas no paciente, elas podem piorar?

Dr. Rômulo – São doenças cujos fatores agravantes são muito discutíveis e indeterminados. Elas têm uma relação muito grande com os estados: emocional, nutricional e imunológico do paciente. O que a gente nota é que pacientes que têm uma boa alimentação, à base de frutas, de legumes e que evitam alimentos apimentados, condimentados, à base de corantes e que evitam bebida alcoólica, tem una melhora acentuada dos sintomas, levando uma melhor qualidade de vida. Então, os fatores nutricionais são muito importantes no controle, tanto da Doença de Chron quanto na retocolite.

Blog – Essas doenças têm cura? 

Dr. Rômulo – Elas não têm cura, têm o controle efetivo, com medicações e com a melhora da qualidade de vida do paciente em relação aos fatores nutricionais, como já observado. Desse modo, o paciente pode melhorar bastante.

Blog – Qual a origem dessas duas doenças?

Dr. Rômulo – São doenças de caráter desconhecido, têm fatores nutricionais, imunológicos e hereditários. E, no caso do aparecimento de diarreia crônica, a pessoa deve procurar um médico, um coloproctologista, para fazer uma boa avaliação, os exames citados e iniciar o tratamento.

Blog – Há como evitar o aparecimento?

Dr. Rômulo – Efetivamente, não tem como evitar, mas alguns fatores dificultam o aparecimento. Se a pessoa tem uma boa alimentação, dificilmente desenvolverá essas duas doenças.

Veja também:  Professor de Jiu-Jitsu diagnosticado com câncer, amigos se mobilizam para ajudar

Blog – É necessário, então mudar o estilo de vida?

Dr. Rômulo – É preciso sim mudar o estilo de vida. Dos anos1980 para cá a população brasileira passou por grandes mudanças na alimentação, passou a consumir muitos alimentos processados, fazer uso abusivo de sucos industrializados, à base de corantes e outros que já citamos. Então, é importante voltar a comer frutas, verduras, legumes, diminuir a ingestão de álcool e passar a ter uma alimentação mais natural possível.

Blog – Quais os sintomas dessas doenças?

Dr. Rômulo – Ambas têm manifestação única, são as diarreias e as lesões na mucosa do intestino. Os sintomas são muito parecidos. Então, as lesões macroscópicas detectadas pela colonoscopia no intestino e por meio da histopatologia são a única maneira de dar um diagnóstico preciso.

Blog – Em que idades essas doenças se manifestam?

Dr. Rômulo – Elas têm manifestação acima dos 40 anos de idade e em países desenvolvidos, onde a população tem o consumo maior de produtos industrializados. Entre 20 e 30 anos a frequência é muito pequena.

Blog – Que conselhos o senhor daria às pessoas que já apresentam algumas dores e sangramentos? Que percebem esses sintomas, mas não procuram logo um tratamento?

Dr. Rômulo – Algumas pessoas que têm diarreia crônica, diarreia com muco, sangue nas fezes, cólicas, perda de peso, devem procurar o coloproctolgista para fazerem os exames dos quais falamos no início. Porque tanto a retocolite quanto a Doença de Crohn, quando não são bem cuidadas       m muco nas, as duas quando não são bem diagnosticadas nem bem cuidadas, no futuro podem levar ao aparecimento do câncer colorretal.

Blog – Como é o tratamento dessas duas doenças?

Dr. Rômulo – De duas maneiras: primeiramente com a conscientização do paciente, de que é uma patologia que não tem cura, mas tem controle, se ele aderir bem ao tratamento, com algumas medicações empregadas para diminuir a inflamação do intestino; e, depois, melhorar a qualidade de vida, com a ingestão de líquidos, muita água, atividade física, alimentação natural, equilibrada. Isso melhora muito, o paciente faz um controle efetivo das duas doenças.

Blog – Que advertência o senhor faz a uma pessoa que começa a apresentar alterações no funcionamento do intestino? 

Dr. Rômulo – É muito importante que o paciente acima dos 40 anos de idade, com dor abdominal, com dor no cólon, com diarreia frequente, que muitas vezes acredita que tem só uma parasitose, uma ameba, procure um profissional especializado para ter esclarecimentos. Porque, essas doenças intestinais mal diagnosticadas, mal curadas, repito, no futuro podem desenvolver um câncer colorretal.

Blog – Quem sofre dessas duas doenças, pode levar uma vida normal?

Dr. Rômulo – Uma coisa importante que a população deve ter conhecimento em relação às doenças inflamatórias intestinais, é que são doenças que não têm cura, mas têm controle. Mas os portadores pode levar uma vida normal. A pessoa pode trabalhar, ser produtiva, ter família e ter uma boa qualidade de vida. Basta ter uma boa alimentação. Isso é o mais importante em relação às doenças intestinais: uma boa alimentação.

Deixe uma resposta