Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
ENERGIA

Celpa retira fios de ligação clandestina feita pela empresa de saneamento de Parauapebas

SAAEP tem dívida de R$ 3 milhões com a Celpa

Por Dayse Gomes

Quem trabalha no Polo Moveleiro de Parauapebas foi surpreendido nesta quinta-feira, dia 5, com a retirada dos fios de energia, pela Rede Celpa, do transformador que bombeia a água do poço artesiano e abastece o setor onde trabalham 80 moveleiros. A concessionária informou que os fios foram ligados à rede de alta tensão, consumindo energia de forma clandestina.

O Executivo de Relacionamento com o cliente da rede Celpa, Ezion Silva, disse que a empresa SAAEP- Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas – responsável pelo abastecimento de água na cidade fez a ligação de forma irregular. “A ligação estava à revelia da concessionária. Para regularizar, a empresa Saaep tem que solicitar à Rede Celpa uma visita técnica para avaliar se há viabilidade. Se caso for aprovado, a gente encaminha o contrato, que depois de assinado, a empresa apresenta o projeto e só então é feita a ligação pela Rede Celpa”. Ezion também destacou que muitos bairros de Parauapebas usam o transformador nos poços artesianos para receber água e por isso, consumo de energia é alto. “O Saaep tem uma dívida com a Celpa de R$ 3 milhões de reais. E também há dívida deixada pela gestão anterior”, enfatizou Ezion.

A diretora geral do Saaep, Claudenir Rocha, disse que não tinha conhecimento que a ligação do poço artesiano do polo madeireiro estava funcionando de forma irregular, mas explicou que já encaminhou os documentos à Rede Celpa para verificar as condições dos poços artesianos e regularizá-las. “Se foi detectada irregularidade, a gente quer que a situação seja resolvida, por isso pedimos apoio à Celpa”, informou Claudenir Rocha.

Com a retirada dos fios, faltou água no polo moveleiro. O presidente da cooperativa dos moveleiros, Sergio Ferreira Barbosa, disse que o setor já estava sendo prejudicado com a falta de regularidade no abastecimento. “A água que a empresa Saeep manda para cá é muito pouca. Um dia tem, outro não”, reclamou Sergio que disse ainda que o problema começou quando o poço artesiano passou a atender outros bairros. “Quando o polo moveleiro foi criado em 2007, foi feito um poço artesiano para atender apenas os moveleiros, nesse local de 250 mil metros quadrados, mas com a chegada das casas populares, a Saaep resolveu estender o abastecimento desse poço para outros bairros, como a dos Minérios”, destacou Sergio.

O Saeep informou que já foi regularizada a situação do poço artesiano do Polo Moveleiro, que é de baixa tensão, normalizando o abastecimento de água. Sobre as dívidas com a Rede Celpa, Claudenir Rocha falou que a nova diretoria ao assumir a gestão da empresa, esse ano, iniciou a negociação para o pagamento parcelado da dívida. Sobre o débito de R$ 3 milhões, a diretora já solicitou a isenção do ICMS, beneficiado pelo decreto municipal, para abater no valor da dívida. A diretora também explicou que não existe ligação do poço artesiano do polo moveleiro para outros bairros. “O bairro dos Minérios tem o seu próprio poço artesiano. O problema da falta de água é que a cada ano, o uso do poço vai sendo comprometido. O polo moveleiro tem mais gente consumindo água do que nos anos anteriores e a vasão do poço diminui”. A diretora informou que existe um projeto para o ano que vem, de readequação da rede para interligar as áreas mais isoladas da cidade e que vai ampliar a capacidade do abastecimento de água nos bairros, inclusive no polo moveleiro.

Atualização

O Saaep (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas) informa que houve uma inconformidade entre o registro realizado pela concessionária de energia elétrica e a unidade consumidora onde fica localizada a bomba do poço, havendo a correção imediatamente.

O Saaep informa ainda que novas adequações já estão sendo implantadas, visando garantir a normalização do abastecimento o mais breve possível, e que entre os poços do polo moveleiro e do bairro dos Minérios há um projeto de interligação.

Por fim, o Saaep vem elaborando ainda, estudos para ampliar o fornecimento de água no local, podendo ser implantado conforme as condições de operação.

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Seja o primeiro a escrever um comentário

  1. A culpa deve ser do governo anterior. Após 10 meses o atual governo não fez nada e tudo que acontece eles culpam o governo anterior, ou seja, o governo da oportunidade não tomou posse ainda.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!