Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Conflito Agrário

Equipe da Força de Segurança do Estado do Pará está na Fazendinha, em Curionópolis, para periciar a área. (Atualizada)

O Blog acompanha "in loco", com exclusividade, a perícia.

Após reunião realizada ontem, em Curionópolis, a Força de Segurança do Estado decidiu fazer uma vistoria na área da Fazendinha, ocupada por integrantes do Movimento dos Sem Terra (MST) para periciar o local e produzir relatório dos danos à propriedade relatados pelo proprietário da área supostamente provocados por membros do MST.

Os fazendeiros haviam prometido interditar a PA-275 por tempo indeterminado caso essa perícia não acontecesse hoje.

Por volta das 10h30, quatro viaturas chegaram ao local conduzindo pessoas do Comando Tático da Polícia Militar, da Polícia Civil do Pará, do Instituto Renato Chaves e da Polícia Rodoviária Estadual. Ao todo, a Força de Segurança do Estado no local  está composta por cerca de 25 pessoas.

Às 11 horas o comando entrou na propriedade e foram recebidos em uma guarita por um grupo do MST formado por homens, mulheres e crianças.

O Blog acompanha, com exclusividade, a vistoria.

Mais detalhes em instantes.

Atualização às 11:32

A Força de Segurança do Estado do Pará não foi autorizada a passar da guarita montada na Fazendinha para vistoriar a área. O MST alega que a entrada só será permitida com a presença do Ouvidor Agrário.

A Força de Segurança retornou para a entrada da Fazendinha, à margem da PA-275 para discutir o que fazer.

Atualização às 11h55

O Ouvidor Wellington Bezerra da Silva acaba de chegar ao local e a tentativa de vistoriar a área deve ser reiniciada a qualquer  momento.

Seja o primeiro a escrever um comentário

  1. E um absurdo quando um bando de desocupados decide o que é certo ou errado numa tentativa barbara de tumultuar uma negociação que visa tão somente resolver esse conflito, conflito esse que já se arrasta por muito tempo, na minha opinião foi invertido os valores, já diziam os antigos que um dia o homem honesto teria vergonha de ser chamado de honesto, como se honestidade fosse uma doença, temos que apoiar o proprietário da Fazendinha em conseguir recuperar sua fazenda pois caso ele perca essa área, quando vai perder são todas as pessoas de bem da região.

Deixe uma resposta