Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Mais de 50 criminosos estão à solta em Marabá e microrregião

Polícia Militar mantém na área de acesso ao Crama 50 homens, 15 veículos e conta com o apoio de um helicóptero. A fuga, do Crama, aconteceu no final da tarde de ontem
Continua depois da publicidade

Nada menos que 54 detentos, todos cumprindo condenação, ainda estão foragidos do Centro de Recuperação “Mariano Antunes” (Crama), em Marabá. Eles fugiram por volta das 17h de ontem, terça-feira (26), em meio a um tiroteio em que o sargento Viana, da Polícia Militar, saiu ferido numa das pernas. No total os fugitivos somariam 58, mas dois foram encontrados mortos na área de acesso ao regime semiaberto e dois acabaram recapturados.

Durante coletiva na manhã desta quarta-feira (27), no auditório do Comando de Policiamento Regional II (CPR-II), o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), tenente-coronel Franklin Roosevelt Faial, solicitou que os meios de Comunicação alertassem à população quanto à presença desses criminosos em localidades ao longo da Rodovia BR-230 (Transamazônica) ou pedindo carona.

“A população de Marabá e de municípios vizinhos deve ficar atenta a qualquer movimentação estranha na sua rua, no seu bairro e informar imediatamente ao sistema de Segurança Pública, por meio dos telefones 190, 181 e do disque-denúncia [3312-3350]. A Polícia Militar assim como outros órgãos parceiros estão prontos para chegar em minutos ao local e averiguar a situação”, recomendou ele, acrescentando que quem trafega pela rodovia não deve  dar  carona a pessoa suspeita.

A coletiva começou com o coronel Mauro Moreira Matos, diretor-geral Penitenciário da Superintendência do Sistema Penal (Susipe), detalhando como ocorreu a fuga. Segundo ele, por volta das 17h, no momento em que os agentes penitenciários trancavam o bloco carcerário – pavilhões A e B – foram rendidos por dois internos do pavilhão B, que portavam arma de fogo.

Em seguida começaram a libertar os demais presos para tentar escapar pela área do semiaberto, recebendo apoio de pessoas de fora da penitenciária que, também armadas, aturaram contra os policiais militares, impedindo que estes ocupassem uma das guaritas, o que impediria a fuga.

“Com o apoio do GTO (Grupo Tático Operacional) demais unidades policiais militares, houve a contenção da fuga e, a partir desse momento começou a recontagem dos presos e, simultaneamente, buscas nas áreas adjacentes da casa penal”, detalhou ele.

Veja também:  Duplo homicídio em Redenção durante final de semana

Por seu turno, o tenente-coronel Roosevelt disse que desde ontem todas as vias de fuga do presídio estão bloqueadas, onde a Polícia Militar está presente com 50 policiais, 15 veículos, com apoio de um helicóptero e abordando e revistando veículos que saiam daquela área.

“A gente acredita que a maioria desses apenados ainda se encontra embrenhada no mato, até porque o local está sendo contido e eles ainda não tiveram oportunidade de sair. A PM, com apoio dos outros órgãos, vai continuar na operação bloqueio e tentar recaptura-los para devolver a tranquilidade ao povo de Marabá”, salientou o comandante do 4º BPM.

Pela Polícia Civil, a delegada Simone Felinto, superintendente regional do Sudeste do Pará, contou que, assim que a fuga chegou ao conhecimento de todos, foram mobilizados, além dela, três delegados: um do Núcleo de Apoio às Investigações e dois do Departamento de Homicídios, acompanhados das equipes a fim de dar apoio à PM.

Foi instaurado o inquérito policial, quando foi ouvido o diretor do Crama e os agentes prisionais que estavam de serviço a fim de informar como ocorreu a fuga. “Estamos investigando como ocorreu a fuga, quem eram os alvos do resgate, quem participou externamente e também as duas mortes ocorridas durante a fuga”, garantiu ela.

Indagado pelo Blog sobre a superlotação carcerária, uma vez que o Crama foi construído, há 24 anos, inicialmente para abrigar 180 detentos, mas hoje guarda 629, o coronel Mauro disse que o governo do Estado já abriu licitação para construção de mais uma unidade prisional em Marabá, com 306 vagas e, em conclusão de projeto, se encontra uma nova unidade, com 200 vagas, para o regime semiaberto.

“Justamente para que o Centro de Recuperação ‘Mariano Antunes’ volte à sua capacidade de 180 presos, pelo fato de nós estarmos gerando aproximadamente 506 vagas, tanto para o regime fechado quanto para o regime semiaberto”, anunciou ele. Ainda segundo o coronel, as obras iniciam ainda este ano.

A Susipe ficou de, ainda durante esta quarta-feira. divulgar a relação dos detentos foragidos.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá

Deixe uma resposta