Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Saúde

Marabá não vai mesmo ter UPA. Conselho Municipal de Saúde aprova a devolução do dinheiro da construção do prédio

Em reunião recente, os conselheiros referendaram a decisão do prefeito Tião Miranda, mas estabeleceram sete condicionantes ao aprovar a devolução do recurso
Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Não vai mesmo ter UPA em Marabá. Conforme a Resolução 018/2017, publicada hoje no Diário Oficial dos Municípios, o Conselho Municipal de Saúde de Marabá (CMSM), em reunião no último dia 13, colocou a pá de cal no assunto, autorizando a Prefeitura de Marabá a devolver o recurso federal de R$1.950.000,00 empregados na construção do prédio daquela que seria a Unidade de Pronto Atendimento da Cidade Nova, entregue no final do governo passado.

Ou seja, o CMSM apenas referendou a decisão que já havia sido tomada pelo prefeito Sebastião Miranda Filho (PTB) – Tião Miranda -, que justifica a devolução ao explicar, exaustivamente, em várias entrevistas a veículos de Comunicação locais e em redes sociais, que o município não tem condições financeiras de arcar com manutenção da UPA nem dinheiro para equipá-la.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Marcone Leite, para equipar a Unidade seriam necessários cerca de R$2.500.000,00 e a manutenção mensal ficaria na casa de R$1.800.000,00. Nem mesmo com a ajuda prometida pelo Ministério da Saúde, recentemente, de R$ 650 mil mensais, seria possível cobrir a diferença.

Em recente entrevista ao site do Grupo Correio de Comunicação, Tião Miranda lembrou que o País atravessa por uma profunda crise política e o futuro, nesse caso, é incerto. Argumentou que, na hipótese de aceitar a ajuda, do MS e, de repente, houvesse troca de governo ou até mesmo de ministro, tudo voltaria à estaca zero e a UPA não teria mais como funcionar.

Veja também:  Prédio que seria da UPA em Marabá vai receber vários serviços de saúde

Um grupo de vereadores de políticos da esfera federal ainda tentou achar saídas para contornar os problemas financeiros e colocar a UPA para funcionar, mas, tudo indica que esse esforços foram inúteis.

Condicionantes

Ao aprovar a devolução do dinheiro, entretanto, o Conselho Municipal de Saúde estabeleceu as seguintes condicionantes:

1) Funcionamento de 01 (uma) Unidades Básicas nos 03 (três) Núcleos: Morada Nova, Nova Marabá e Cidade Nova, de segunda-feira a sexta-feira, das 19 às 24 horas, com prazo de início de 60(sessenta dias);

2) Transporte Sanitário para pacientes em tratamento de hemodiálise;

3) Informatização do serviço;

4) Ampliação da Estratégia de Saúde da Família;

5) Uso do Prédio de UPA para outros Programas de Saúde;

6) Uso do Prédio para implantação do Plano de Ação de Oncologia (este já anunciado pela Secretaria de Saúde); e

7) Implantação de Programa de Humanização aos funcionários púbico da Secretaria de Saúde.

Deixe uma resposta