Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Marabá: Polícia Civil apreende armas de fogo em área ocupado pertencente ao Grupo Santa Bárbara

A Polícia Civil cumpriu, no último final de semana, mandados de busca e apreensão, na área do Projeto de Assentamento da fazenda Itacaiúnas, de propriedade do Grupo Agropecuário Santa Bárbara Xinguara S/A, em Marabá, sudeste paraense. A busca foi realizada em cinco imóveis instalados dentro da área de ocupação. Durante o procedimento policial, foi apreendida uma pistola tipo Beretta modelo 950-B, calibre 6.35mm e duas espingardas calibre 20. Duas pessoas foram presas em flagrante por porte ilegal das armas de fogo e depois liberadas mediante pagamento de fiança. A operação foi coordenada pelo delegado Alexandre Nascimento, titular da Delegacia de Conflitos Agrários de Marabá (Deca).

Segundo o policial civil, a ação policial foi decorrente de denúncias de furto e abate ilegal de gado feitas por representantes de duas fazendas (Montanha e Barão Vermelho), localizadas no entorno da fazenda Itacaiúnas. De acordo com os denunciantes, pessoas ligadas à ocupação existente na Itacaiúnas estariam invadindo as outras duas propriedades rurais para saquear bois, matar a tiros os animais e abater a carne, deixando apenas os restos mortais do gado nas fazendas.

Diante da denúncia, a equipe policial da Deca se deslocou, no último sábado, até a fazenda Itacaiúnas, na zona rural de Marabá, de posse de mandados de busca e apreensão, para tentar localizar armas de fogo e possíveis indícios da prática criminosa nas casas, onde residem cinco suspeitos de envolvimento nos crimes. Durante as diligências, explica o delegado, os imóveis foram abordados pelos policiais, para uma busca. Em dois deles, onde moram a líder da ocupação, Maria Elza Gomes da Silva, e Adão Trajano de Brito, também integrante da ocupação, os policiais civis apreenderam as três armas de fogo.

Na casa de Adão de Brito, foram apreendidas as duas espingardas. Além das armas, foram encontrados, dentro de um refrigerador na casa de Adão, cerca de 30 quilos de carne bovina que apresentavam cortes típicos de abate ilegal de gado. Uma amostra da carne foi apreendida para passar por exames periciais para se constatar o abate e o corte ilegais. O delegado instaurou inquérito policial para apurar o furto e morte do gado. A fazenda Itacaiúvas foi invadida há mais de dez anos, porém só em 2013 os ocupantes se instalaram com casas na área. Atualmente, o terreno da fazenda está em trâmite de desapropriação para reforma agrária.

Comentários ( 2 )

  1. Terra invadida deveria ser declarada imediatamente indisponível para reforma agrária.
    O país está em convulsão,a sociedade de bem está sitiada,os bandoleiros do MST capitaneados pelo salafrário mor”stédili”(que mora em uma belíssima cobertura na rua aimberê,em São Paulo)estão sempre à margem da lei(frágeis leis)invadindo e saqueando propriedades,causando instabilidade social deliberadamente, instaurando o caus no campo e também nas cidades,e as autoridades constituídas assistindo a tudo com cara de paisagem.
    Esse tipo de “baculejo”deveria ser regra,afinal, esses grupos,são milicianos armados a serviço da baderna,o caus lhes interessa,seus objetivos são outros,reforma agrária pra eles não passa de retórica.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!