Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Justiça

Presidente do Tribunal de Justiça do Pará mantém decisão do juiz local e João Salame continua afastado do cargo de prefeito de Marabá

O Desembargador Constantino Augusto Guerreiro, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, em decisão publicada hoje (24) negou a suspensão da liminar que afastou o prefeito de Marabá, João Salame Neto (foto) do cargo. Na mesma decisão, o Desembargador manteve a decisão lavrada pelo juízo da 3ª Vara Cível e Empresarial da Comarca de Marabá nos autos da Ação Civil Pública de Improbidade Administrativa que tornou indisponíveis os bens do prefeito João Salame.

João Salame Neto foi afastado do cargo por 180 dias em maio de 2016 por decisão do juiz César Leandro Pinto Machado. Segundo a Justiça, ele deve alguns milhões para o Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos de Marabá.

Clique aqui e leia o inteiro teor da decisão proferida pelo Desembargador Constantino Guerreiro.

 

Comentários ( 10 )

    1. Talvez já tenha perdido o patrocínio do papai mortadela. Aquele blogueiro é um ridículo. Será que na próxima campanha dará pra usarem as mesmas aeronaves???? O piloto tá foragido. Hehehehhe

  1. João Salame não ganha uma nesse tribunal do Jatene…Quem mandou denunciar a corrupção …Fiquei dabendo que eles queriam qur o prefeito pagasse 3 milhões pra sentença ser favorável. .. Essa é a nossa justiça!

    1. A mesma ladainha do PT,onde os “heróis”estão sendo perseguidos,os “defensores da moral e da ética”são na verdade uns “coitados”,enquanto houver pessoas como você,proliferarão os maus feitores da política brasileira.
      Acorda chicão!!!o cara cometeu deslizes,assuma as consequências.

      1. Molotov, nós sabemos que o nosso amigo mortadela é mais um comunista que gosta de caviar, e que os fins justificam os meios. Huhehehhehehe. Só os cegos não enxergam. Só Jesus para fazer esses cegos enxergarem. kkkkkkk

    2. FRANCISCO ele tem que pagar não é 3 milhões são os 24 milhões que descontou da conta dos servidores e não repassou ao IPASEMAR.

Deixe uma resposta