Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Colunas

Rapidinhas

As últimas do cotidiano da região

Serra Pelada

O início da fase de operação do projeto da “montoeira”, que visa a exploração do rejeito do garimpo produzido em Serra Pelada, em Curionópolis, deve acontecer em março do ano que vem. A afirmação foi feita por representantes da Sona Mineração, empresa que está à frente dos trabalhos, durante a Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 4 deste mês com a Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp).

Vereadores

A sessão da Câmara Municipal de Parauapebas desta terça-feira será agitada. Além da entrega de títulos de Cidadã (o) Honorária (o), os vereadores discutirão o Projeto de Lei nº 41/2016, de autoria do Poder Executivo, que estima a receita e fixa a despesa do município de Parauapebas para o exercício de 2017.

Nomes fortes

Em conversas ao pé do ouvido com alguns articuladores da campanha vitoriosa do prefeito eleito Darci Lermen em Parauapebas cheguei à conclusão que ele (Darci) vai manter o povo que o apoiou incondicionalmente. Dito isso, aconselho ao Edson Luiz Bonetti, Kenniston Braga, Dr. Francisco II, João Correa e Pastor Jorge Guerreiro a providenciarem o terno da posse. Eles deverão ocupar, respectivamente, a chefia de gabinete, Fazenda, Semsa, e Assistência Social, a partir do dia 1º de janeiro.

Nomes fortes II

Claro que a informação acima é extra-oficial, já que o futuro alcaide já disse mais de uma vez que os nomes dos secretários só serão divulgados no dia 28 de dezembro.

Águia de Marabá

Ferreirinha, sempre ele, foi eleito ontem por aclamação presidente do Águia de Marabá par ao biênio 2017/2018. Com as finanças em baixa, ninguém apareceu para carregar a cruz.

Precatórios 

O Governo Federal deverá repassar nos próximos dias um valor milionário ao município de Parauapebas em decorrência da condenação da União ao pagamento das diferenças devidas a título de complementação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério – Fundef -, o qual foi substituído pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb. Estima-se que Parauapebas receberá algo em torno de R$61 milhões oriundos desse precatório, que está na justiça há mais de 10 anos.

Precatórios II

A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará – Subsede de Parauapebas – fez circular nas redes sociais, no último fim de semana, um manifesto assinado por Raimundo Moura, Coordenador Geral em Parauapebas, conclamando os professores para uma manifestação em frente ao prédio da prefeitura de Parauapebas no sentido de pressionar o executivo para “repartir” tais recursos. Segundo o manifesto de Moura, cada professor teria direito a cota equivalente a R$50 mil de bônus, pagos pela prefeitura.

Precatórios III

A manifestação aconteceu e Moura pôs na mesa, creio, seu verdadeiro objetivo: pagamento dos honorários advocatícios aos corpo jurídico do Sindicato. Ora, a ação foi proposta em 20/04/2006 pelo então prefeito Darci Lermen, que contratou a empresa Morais e Fontelles Advogados Associados para tal. Em decisão do juiz Marcelo Honorato, da 1ª Vara Federal, em Marabá, fica explicito a quem deverão ser pagos os honorários R$12.355.588,10 ( doze milhões, trezentos e cinquenta e cinco mil, quinhentos e oitenta e oito reais e dez centavos) pela propositura da ação à referida empresa. O juiz determinou, também, o valor a ser repassado ao município de Parauapebas: R$61.778.440,51 ( sessenta e um milhões, setecentos e setenta e oito mil, quatrocentos e quarenta reais e cinquenta e um centavos)

Precatórios IV

Desde que o mundo é mundo o dinheiro sempre conduziu o homem para o bem ou para o mal. E em Parauapebas, claro, isso não seria diferente. Causou estranheza (para não dizer coisa pior) em muitos, o fato da vereadora Eliene Soares (PMDB) ter apresentado somente ontem (12) – depois de ter passado quatro anos sem o benefício – um requerimento encaminhado ao secretário de Educação de Parauapebas para que sua licença como professora efetiva do município fosse cancelada, acumulando assim ao cargo de vereadora. Mas claro, isso não passa de uma grande coincidência. A vereadora não estaria de olho nos R$50 mil citados pelo coordenador Moura em seu manifesto.

Comentários ( 2 )

Deixe uma resposta