Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Tucuruí

Tucuruí: Juiz substituto crava terceiro afastamento do prefeito Artur Brito

População se divide nas redes sociais e presidente da Câmara volta a assumir o cargo de gestor municipal nesta quarta-feira
Continua depois da publicidade

Desde que tornou-se titular no cargo de prefeito em julho de 2016, Artur de Jesus Brito (PV) foi obrigado a deixar o cargo por três ocasiões, causando grande instabilidade política e administrativa no município. A mais recente aconteceu no final do dia desta terça-feira, 5 de junho, quando o juiz substituto Thiago Cendes Escórcio concedeu liminar a um pedido do Ministério Público Estadual, por nova acusação de improbidade administrativa.

Se não conseguir reverter a decisão, Brito ficará longe do comando da prefeitura pelos próximos 180 dias. Enquanto isso, o presidente da Câmara, Bena Navegantes (PROS), que estava em Belém, foi notificado da decisão e intimado a assumir novamente o comando do município, enquanto durar o afastamento do titular.

Enquanto cumpria os dois afastamentos anteriores decretados pela Justiça, Brito teve o mandato cassado pela Câmara de Vereadores, mas uma liminar assinada pela desembargadora Ezilda Pastana Mutran, do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), o reintegrou ao cargo.

Eleito vice-prefeito em 2016, Brito tornou-se titular da prefeitura após o assassinato do prefeito Jones William da Silva Galvão (MDB), morto por pistoleiros em julho de 2017. Acusado de improbidade administrativa e de ter sido beneficiado pela morte do companheiro de chapa, Artur Brito ficou seis meses afastado do cargo.

Por meio do Facebook, Paulo Sérgio, residente em Tucuruí, manifestou-se com a seguinte mensagem: “Vamos deixar o prefeito trabalhar gente, será bom para todos, ele era o vice do Jones, quem tem que assumir é ele mesmo”.

Veja também:  MPF pede afastamento do irmão do deputado Wladimir Costa do Incra de Santarém

Carlos Roberto Sá, usando a mesma rede social, disse que a Justiça está cumprindo seu papel ao identificar erros na gestão de Artur Brito e puni-lo com afastamento. “Ninguém está acima da lei. Quem pecou, que pague por seus erros”, disse.

Por outro lado, o próprio prefeito afastado lamentou a decisão judicial, mas garantiu que está com tranquilidade em seu coração. Artur Brito usou um verso bíblico conhecido com o seguinte teor: “Bem-aventurado os que têm fome e sede de justiça, por que serão consolados.”

Também em tom fervoroso, o gestor afastado publicou o seguinte: “Deus tem se revelado a mim e minha família a cada dia, só Ele tem nos sustentado. Tenho permanecido firme em Cristo que é o meu advogado. Deus conhece todos as coisas, sua justiça não falha e a Bíblia revela em Lucas 8:17 uma verdadeira profecia, “Nada há oculto, que não haja de manifestar-se, nem escondido, que não venha a ser conhecido e revelado.”

Por fim, postou: “Da minha alma repousa a fé que tenho em Deus e na verdade. Confio plenamente na justiça e tenho plena convicção de que ela prevalecerá, mesmo quando o diabo e seus anjos pelejam contra ela.

Comentários ( 2 )

Deixe uma resposta