Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Agentes de Endemias de Canaã participam de treinamento de Combate à Leishmaniose

Entre as orientações, o manuseio de equipamentos para realizar o controle químico seja contra o aedes aegypti, ou no combate ao mosquito palha.
Continua depois da publicidade

O treinamento iniciou há quase uma semana. Durante todo o dia no estádio Benezão, em Canaã dos Carajás, cerca de 10 agentes de endemias são orientados por servidores da SESPA (Secretaria de Saúde Pública do Pará), no combate à Leishmaniose e promover o bem estar na população.

A iniciativa tem como objetivo capacitar os agentes para conscientizar a população quanto à prevenção da propagação da doença em animais domésticos infectados.

A capacitação é fruto de uma parceria entre os governos Municipal e Estadual. Entre as orientações, o manuseio de equipamentos para realizar o controle químico seja contra o aedes aegypti, ou no combate ao mosquito palha, transmissor da Leishmaiose. “Hoje nós trabalhamos na capacitação dos agentes que precisam realizar esse procedimento nas cidades. Esse trabalho está sendo realizado em todo o estado do Pará. O objetivo é fazer com que essas pessoas estejam habilitadas a executar a atividade, seja ela no controle do aedes aegypti, seja entre outros vetores. Nesse momento aqui no município de Canaã é necessário realizar o controle nas residências para evitar o contato do flebótomo (mosquito palha) com as pessoas, como ele é um mosquito que tem o hábito de estar próximo do domicílio a gente precisa fazer uma aplicação dentro e fora dos domicílios e em seus anexos, galinheiros, chiqueiros, por exemplo”. Destacou o Coordenador do Nível Central da SESPA, Lauro Pantoja.

Veja também:  Professor de Jiu-Jitsu diagnosticado com câncer, amigos se mobilizam para ajudar

Mas Lauro destaca ainda que não basta apenas Estado e Município atuarem no combate ao mosquito transmissor, a colaboração da população também é crucial. “Mas apenas aplicar o inseticida não vai resolver o problema do município, é preciso que as pessoas tenham consciência de que precisam manter os seus quintais limpos, porque é um vetor que se multiplica, faz o seu ciclo evolutivo em restos de materiais orgânicos, gostam de humidade, folhas também se tornam um criadouro. Portanto, é preciso a comunidade nos ajudar, é preciso também tanto o estado como o município quebrar essa cadeia, mas só vamos fazer isso com a colaboração de todos”. Concluiu.

A capacitação encerra nesta quarta-feira, 02, com a ida dos agentes, sob supervisão de orientadores, para os bairros mais críticos da cidade onde já há registro de casos.

Deixe uma resposta