Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Curionópolis

Agentes de saúde promovem ação educativa contra leishmaniose em Curionópolis

A Secretaria Municipal de Saúde de Curionópolis, está promovendo uma campanha educativa afim de conscientizar a população sobre as ações de prevenção contra a Leishmaniose e a posse responsável dos animais domésticos.
Continua depois da publicidade

Desde segunda-feira (04), equipes de agentes de saúde tem visitado moradores do bairro centro para alertar a comunidade sobre as formas de prevenção, combate e diagnostico da Leishmaniose ou Calazar. Os panfletos informativos que estão sendo distribuídos nas casas, trazem as orientações básicas sobre como evitar a proliferação do mosquito Palha ou Birigui, transmissor da doença. “O objetivo da campanha é conscientizar a população de Curionópolis sobre as ações de prevenção da Leishmaniose Visceral e os cuidados que se deve ter com os animais de estimação”, explica o coordenador de endemias, Antônio Ferreira.

Outro foco da campanha é esclarecer que os animais são tão vítimas da doença quanto os humanos e ressalta a importância da comunidade manter a limpeza dos quintais já que o mosquito responsável pela contaminação se desenvolve em matéria orgânica, como terra úmida, sombreada e com acúmulo de folhas, frutos e fezes de animais.

Para Dona Ana Lucia, moradora do bairro, “é muito importante a população saber o que fazer para prevenir a doença tanto nas pessoas quanto nos animais, por que todos precisam fazer a sua parte”.

Veja também:  Canaã rejeita adesão ao novo dia “D” de vacinação contra Pólio e Sarampo

O mutirão começou pelo bairro centro e se estenderá aos demais bairros da cidade. De acordo com a secretária de Saúde, Kelma Silva, “esse trabalho de sensibilização na comunidade através dos nossos agentes comunitários de saúde e agentes de endemias é de extrema importância levando informação para a comunidade que é o maior parceiro da saúde na prevenção contra o mosquito palha transmissor da leishmaniose. Contamos com a participação de cada cidadão, com a sua parcela de colaboração conseguiremos diminuir os riscos de contrair a doença”.

Deixe uma resposta