Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Redenção

Polícia Civil do Pará deflagra Operação Assírios em Redenção

A operação, simultânea em Redenção, Rio Maria e Belém, investiga uma organização que envolve empresários e agentes públicos em esquema fraudulento de R$15 milhões
Continua depois da publicidade

A Polícia Civil do Estado do Pará, por meio da Delegacia de repressão a Defraudações Públicas, unidade vinculada a DRCO, com apoio do Ministério Público do Estado do Pará, está deflagrando na manhã de hoje, 13, a Operação Assírios, nas cidades de Redenção, Rio Maria e Belém. O objetivo da operação é reprimir crimes contra a administração pública municipal de Redenção praticadas por uma uma organização que envolve empresários e agentes públicos em um esquema fraudulento por trás de contratos administrativos que somam mais de 15 milhões de reais.

Os Delegados Tarsio Martins e Carlos Vieira coordenaram a operação, que contou ainda com o promotor Leonardo Caldas representando o Ministério Público.

Nesta fase da operação foram cumpridos 23 mandados judiciais, sendo 18 de busca e apreensão e 5 de prisão.

Foram presos os empresários José Luiz Noletto Soares, Carlos Henrique Machado e os agentes públicos Sivaldo Alves de Sousa e Valdeon Alves Chaves.

Foram realizadas buscas e apreensões de documentos nas sedes das empresas R e R Empreendimentos e Serviços LTDA, EPX Construções e Edificações LTDA, ETE Prestadora de Serviços LTDA, GARAJÃO Veículos LTDA, Secretaria de Administração, Escritórios de Contabilidade, além das residências de servidores públicos municipais e empresários.

Esclarece o delegado Carlos Vieira que durante as buscas vários elementos de prova foram apreendidos, o que subsidiará novas investigações, bem como o surgimento de outros envolvidos.

Veja também:  Assaltante da sede da Prosegur é preso em São João do Araguaia

Os presos estão sendo interrogados na delegacia de Redenção e na sequência serão encaminhados ao Sistema Penal, onde ficarão à disposição da Justiça

O esquema criminoso era comandado pelo empresário Carlos Henrique Machado com a participação de outros empresários e servidores públicos. Na organização da empreitada criminosa, alguns empresários, através de ajustes prévios, concorriam de forma fraudulenta a fim de escolher uma empresa vencedora do certame licitatório. Prevendo vantagens com sobrepreços e superfaturamento na prestação do serviço para os empresários e servidores em detrimento da melhor proposta para a Administração Pública.

Os contratos se referiam a aluguéis de máquinas pesadas e veículos, bem como prestação de coleta de lixo domiciliar e hospitalar, como também limpeza municipal.

Participaram da primeira fase da Operação Assírios 72 policiais. Além das equipes policiais da Diretoria de Polícia Especializada-DPE, (DRCO, DEMA, DIOE, DPRCT, DRFR, DENARC) uma equipe do Grupo de Pronto Emprego-GPE, como também representantes do Ministério Público do Estado.

A Polícia Civil de Redenção agendou para às 15h desta quinta-feira uma entrevista coletiva com a imprensa para esclarecer detalhes da operação

 

Deixe uma resposta